Homem é preso após ser condenado por estuprar a enteada dos 6 aos 10 anos de idade, em Piracanjuba

Homem de 40 anos é preso condenado por estuprar a enteada, em Piracanjuba — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Segundo a Polícia Civil, STJ determinou que ele cumpra 20 anos de prisão em regime fechado. Caso foi descoberto pela mãe em 2013, 4 anos depois do início dos abusos.

Homem de 40 anos é preso condenado por estuprar a enteada, em Piracanjuba — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Homem de 40 anos é preso condenado por estuprar a enteada, em Piracanjuba — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Um homem de 40 anos foi preso após ser condenado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) por estuprar a enteada dos 6 aos 10 anos de idade, em Piracanjuba, na região sul de Goiás. De acordo com a Polícia Civil, o caso foi descoberto pela mãe em 2013, depois que a menina começou a mudar de comportamento e se recusar a ficar próximo do padrasto.

Segundo o delegado Leylton Barros, responsável pelas investigações, os abusos foram cometidos por quatro anos consecutivos, sempre que a mãe se ausentava.

“Quando a criança era mais nova, ela não demonstrou, aparentemente, nenhuma reação diferente. No entanto, à medida em que foi crescendo e tendo consciência, a mãe percebeu que ela foi ficando mais arredia, reclusa e não queria ficar com o homem, foi aí que ela procurou a polícia e o caso foi descoberto”,

O homem foi preso na última quarta-feira (12), em Piracanjuba, depois que o STJ julgou um recurso do processo. Segundo o delegado, ele já havia sido condenado a 30 anos de prisão, mas recorreu ao Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), que abaixou a pena para 14 e, por último, ao STJ, que acabou fixando a pena em 20 anos.

O delegado explicou que atualmente a vítima tem 15 anos de idade. Em 2013, quando ela ainda tinha 10 anos, o padrasto chegou a ser preso, mas obteve um habeas corpus e respondia ao processo em liberdade.

“Nós ouvimos a família, colhemos depoimentos, a menina foi submetida a exames que comprovaram os abusos. Nós o indiciamos, mas por conta do habeas corpus, ele respondia em liberdade. Agora, com esta condenação pelo STJ e a determinação da prisão pela Comarca de Piracanjuba, cumprimos este mandado”, afirmou.

O condenado, segundo o investigador, já possuía outra passagem pelo crime de estupro, e foi encaminhado à Unidade Prisional de Piracanjuba, onde deve cumprir a pena.

Por Murillo Velasco, G1 GO

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*