Mané Garrincha chega a render R$ 33,80 em jogos do campeonato local

O mais caro dos estádios da Copa de 2014, o Mané Garrincha abre as portas por um valor irrisório e se mostra parceiro dos clubes locais. A arena chegou a sediar uma partida entre Brasília e Formosa, no dia 8 do mês passado, por apenas R$ 33,80, custo referente ao aluguel de campo, segundo o borderô da disputa. Em outro documento, o valor da locação do espaço estava zerado – caso de Brasília x Luziânia, em 12 de março.

Segundo a Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer, as regras para o aluguel estão fixadas em lei. No caso específico das partidas de futebol na arena da capital, a taxa de ocupação é fixada em 15% da renda bruta arrecadada, percentual esse reduzido para 13% no caso de locação por quatro jogos. “O percentual é cobrado independentemente da área ocupada e já inclui despesas como água, esgoto e energia. No caso de outros eventos, como shows, a taxa varia de acordo com a área ocupada”, explica o órgão por meio da assessoria.

O lucro da pasta, no entanto, depende da atuação dos times de fora do DF. A taxa de ocupação do Mané na partida entre Flamengo e Vasco, pela 4ª rodada da Taça Rio, em 26 do mês passado, por exemplo, rendeu ao GDF R$ 76.783,20. Nesse caso, o valor do espaço foi calculado a 10% do rendimento bruto, ou seja, inferior do que o previsto para os clubes locais, mas, ainda assim, vale a pena pelo tamanho da torcida.

Em fevereiro, o estádio foi palco de cinco jogos do Candangão, gerando um rendimento de R$ 2.330,55 pela locação da área. No mês seguinte, a quantidade de partidas foi maior com uma disputa a mais e o custo foi inferior, de R$ 2.070,20.

 

FONTE:JORNAL DE BRASILIA

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*