Prefeito critica criação de Estado do Entorno: “Precisamos de recursos, não títulos”

Para Ernesto Roller, criação de estado é utópica; já deputado Célio Silveira, que propôs plebiscito sobre tema, diz que nova unidade federativa trará desenvolvimento

Após a aprovação em uma comissão de um projeto que prevê um plebiscito para consultar a população sobre a criação de um estado que abrangeria os municípios do entorno do Distrito Federal, o tema passou a ser assunto nesta sexta-feira (7/4). O Estado do Entorno, entretanto, não é visto por todos os líderes da região como uma solução para os problemas das cidades próximas a Brasília.

Pela proposta de autoria do deputado federal e ex-prefeito de Luziânia, Célio Silveira (PSDB), 18 municípios goianos comporiam o novo estado: Abadiânia, Água Fria de Goiás, Águas Lindas de Goiás, Alexânia, Cabeceiras, Cidade Ocidental, Cocalzinho de Goiás, Corumbá de Goiás, Cristalina, Formosa, Luziânia, Mimoso de Goiás, Novo Gama, Padre Bernardo, Planaltina, Santo Antônio do Descoberto, Valparaíso de Goiás e Vila Boa.

Para o prefeito de Formosa, Ernesto Roller (PMDB), o Estado do Entorno não seria solução para os problemas da região. “O que precisamos é de recursos e não de título”, pontuou. Segundo Roller, a criação de outro estado é utópica e, de certa forma, inviável. “Em um país que tem estados muito maiores, em que geograficamente seria mais viável, até por uma questão de logística seria inviável a criação de um estado”.

Ele lembrou que a discussão não é nova, mas que não há nenhuma razão fática ou possibilidade de resultado efetivo para o surgimento de outro estado. Para o prefeito, os parlamentares que se preocupam com a região podem, ao invés de buscarem essa solução, apresentarem propostas para levar recursos e melhorias para os municípios.

Por outro lado, na visão de Célio Silveira, a Região Metropolitana do DF encara dificuldades com prestação insuficiente dos serviços públicos de educação, saúde, saneamento, habitação e segurança, pressionando o Distrito Federal. Para ele, a criação de uma nova unidade federativa gerará desenvolvimento para a região e melhor atendimento à coletividade.

Já a secretária da Mulher, do Desenvolvimento Social, da Igualdade Racial, dos Direitos Humanos e do Trabalho e ex-prefeita de Valparaíso, Lêda Borges (PSDB), defendeu a realização do plebiscito, apesar de não ter uma avaliação formada sobre o tema.

Segundo a secretária, precisam ser realizados estudos econômicos e populacionais para que uma decisão possa ser tomada. Porém quem deve tomar a decisão é a população. “Na minha opinião precisa ouvir a comunidade, que precisa se inteirar do assunto”, defendeu.

 

 

FONTE: JORNAL OPÇÃO

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*