Presos suspeitos de matar aposentado porque filho dele não desbloqueou celular

Os jovens Patrick Hernandes Carvalho e Fábio Junio Ferreira da Silva, de 21 e 22 anos, foram presos suspeitos de participar da morte do aposentado Divino Flor, de 55 anos, em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Segundo a Polícia Civil, o homem foi morto porque o filho dele não conseguia desbloquear o celular durante um assalto à residência da família. Wellington Ribeiro dos Santos, apontado como autor dos disparos, foi morto a tiros cinco dias após o crime.

Segundo o delegado Carlos Leveger, do 6º Distrito Policial da cidade, Wellington e Patrick entraram na residência da família no momento em que o filho da vítima estacionava o carro na garagem da casa. Ele afirma que os criminosos pediram que o homem desbloqueasse o celular e o entregasse a eles.

“O rapaz ficou muito nervoso e não conseguia fazer o desbloqueio da tela para entregar aos ladrões. Wellington ficou irritado e deu dois disparos, um deles, de curta distância, atingiu o aposentado na cabeça. A vítima ficou agonizando por cerca de dez minutos e, quando o socorro chegou, ele já havia morrido”, afirmou o delegado.

O crime aconteceu no último dia 8 de fervereiro, no Setor Alto Paraíso, em Aparecida de Goiânia. De acordo com o delegado, os criminosos estavam em um carro andando pelo bairro, viram o filho do aposentado passar em um GM Astra e resolveram o seguir. Quando o homem chegou em casa e abriu o portão, Fábio ficou do lado de fora, e os outros dois entraram na garagem seguindo o veículo e anunciando assalto.

“O senhor que morreu foi quem abriu o portão para que o filho, que chegava do trabalho, estacionasse o carro. Eles já entraram muito violentos, anunciaram o assalto, e, em questão de poucos minutos executaram o aposentado”, contou Carlos Leveger.

Conforme o investigador, após perceber que tinham baleado Divino Flor, os criminosos fugiram sem levar nenhum objeto da família. “Eles viram que o tiro atingiu a cabeça da vítima e saíram correndo”, disse.

Os dois presos vão responder por latrocínio, que é quando há roubo ou tentativa de roubo com uma vítima assassinada.

Fábio Júnio Ferreira da Silva e Patrick Hernandes Carvalho foram presos suspeitos de latrocínio (Foto: Murillo Velasco/G1)

Investigação

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos foram identificados depois que o carro utilizado no crime foi encontrado abandonado em uma rua do Setor Madre Germana II, na capital, bairro onde os dois jovens moram. De acordo com o delegado, o veículo pertencia ao pai de Fábio, que, quando localizado, contou aos investigadores que o filho havia saído no carro com os dois amigos na noite do crime.

“O pai de Fabio nos contou que o filho havia saído com Wellington e Patrick na noite do crime. Como o assalto foi mal sucedido, resolveram abandonar o veículo. Eles achavam que não íamos localiza-los pela placa, pois o mesmo não estava no nome de nenhum dos envolvidos”, contou o delegado.

Após a identificação, a Polícia conseguiu os mandados de prisão contra os dois, visto que o terceiro envolvido havia sido morto uma semana após o crime. A dupla foi presa na última sexta-feira (7).

Fábio foi preso em Senador Canedo, na Região Metropolitana de Goiânia. Já Patrick foi encontrado no Setor Madre Germana II, bairro em que mora, na capital.

“Conseguimos solucionar este crime depois de dois meses de investigações, que se deram de forma complexa. Os crimes de latrocínio geralmente impõem mais dificuldades na apuração, pois as vítimas são escolhidas de forma aleatória. Neste caso, por exemplo, não tínhamos câmeras de segurança e a casa da família ficava em um bairro com muitos terrenos vagos”, explicou o delegado.

FONTE:G1GO

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*