Encontrada mãe de bebê morto no Lago Paranoá, em Brasília

A Polícia Militar encontrou na tarde desta quarta-feira (12) a mãe do bebê de 6 meses que morreu afogado no domingo (9), no Lago Paranoá, em Brasília. A mulher, de 36 anos, estava no terreno de um partido político na QI 26, no Lago Sul, próximo à região onde o corpo da criança foi descoberto.

Elizângela dos Santos Carvalho estava em cima de uma árvore quando foi avistada pela servidora pública Liliane Dantas, que participava de uma reunião na sede do partido político. Liliane disse que tinha acompanhado as notícias sobre o caso do bebê encontrado morto no Lago Paranoá, e reconheceu a mulher.

“Quando percebi a fisionomia da moça, vi que era a mulher que apareceu nas reportagens. Tentei acalmá-la, mas ela estava perturbada. Não sabia nem que era mãe.”

A servidora pública explicou que chamou uma psicóloga que estava na reunião para ajudá-la. E a mulher acabou descendo da árvore. Depois disso, entrou em contato com a PM, a Polícia Civil e o Corpo de Bombeiros.

Ao chegarem, os policiais reconheceram Elizângela que estava bem vestida, mas muito confusa e desorientada, segundo eles. Só soube dizer o primeiro nome e falou que não lembrava de mais nada. A mulher tinha apenas uma sacola com R$ 10 e um vale-transporte.

“Não posso julgá-la. Sou mãe também. Sei que muitas mulheres sofrem depressão após o parto. Ninguém ainda sabe o que realmente pode ter acontecido”, completou Liliane.

Na bolsa de Elizângela, polícia encontrou R$ 10 e um vale-transporte (Foto: Letícia Carvalho/G1)

Depois de exames preliminares – que mostraram boas condições físicas – a mulher foi encaminhada para a Delegacia do Lago Sul. Segundo o delegado Plácido Arruda, não é possível apontar que Elizângela seja responsável pela morte do filho “embora tudo leve a crer que ela seja a autora”.

O delegado solicitou a ajuda de uma psicóloga para interrogar a mulher. Disse ainda que vai pedir à Justiça a prisão preventiva dela. Mas o judiciário, baseado no laudo psicológico, pode entender que Elizângela não deva ir para um presídio.

FONTE:G1 DF

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*