Condenada no caso Nardoni, Anna Carolina Jatobá pede progressão ao regime semiaberto

Condenada a 26 anos e oito meses de prisão pela morte da enteada Isabella Nardoni, Anna Carolina Jatobá pediu à Justiça a progressão do regime fechado para o semiaberto. Conforme o site G1, o pedido foi protocolado pela defesa de Anna Carolina na segunda-feira e depende de uma avaliação psicológica que será anexada em parecer pelo Ministério Público. Não há prazo para que o pedido seja julgado pelo Judiciário.

 

Pelos cálculos da defesa, Anna Carolina já compriu dois quintos da pena total — equivalente a 10 anos e sete meses de detenção —, que é o tempo mínimo para obter o benefício. Ela foi presa em 3 de abril de 2008, mas já poderia progredir de regime por ter trabalhado como costureira na penitenciária Santa Maria Eufrásia Pelletier em Tremembé, no Estado de São Paulo. Com o trabalho, a condenada reduziu a pena em 660 dias.

De acordo com o G1, Anna Carolina terá de comprovar o tempo mínimo de detenção e ter comportamento considerado bom para receber a progressão ao semiaberto. Ela será submetida a avaliações de psicólogos e psiquiatras.

— Esses exames vão apontar se ela demonstra algum sinal de que poderia praticar novos delitos — afirmou o promotor Marcelo Negrini, responsável por analisar o pedido da defesa, em entrevista ao site.

Anna Carolina foi condenada, em 2010, pelo homicídio qualificado de Isabella. Em 29 de março de 2008, a menina de cinco anos foi jogada pela janela do sexto andar do apartamento do casal Anna Carolina e Alexandre Nardoni, no bairro do Carandiru, em São Paulo. Os condenados sustentam que outra pessoa entrou no prédio e foi responsável pela morte da criança.

Defesa alega que mulher já cumpriu dois quintos da pena de 26 anos e oito meses de prisão pela morte da criança de cinco anos, em 2008

FONTE: ZH NOTICÍAS

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*