GDF promete reabrir 65 leitos de UTI em até 40 dias com novas contratações

O governo do Distrito Federal anunciou nesta terça-feira (2) que vai reabrir 65 leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) em até 40 dias. A medida vai ocorrer por causa da nomeação de 723 novos servidores para compor o quadro da Secretaria de Saúde e viabilizar o uso de leitos interditados por falta de profissionais.

De acordo com o governador Rodrigo Rollemberg, as nomeações devem ser publicadas no Diário Oficial até sexta (5). Os servidores – aprovados no concurso de 2014 – vão assumir vagas liberadas por funcionários aposentados em 2015 em diversas áreas e unidades de saúde.

O governo espera que as novas contratações permitam a reabertura de 18 leitos de UTI adulta, 6 pediátrica e 39 neonatal, além de duas Unidades de Cuidados Intensivos.

“Além desses, estamos aumentando mais 13 leitos contratualizados agora”, afirmou o secretário de Saúde, Humberto Fonseca.

Segundo ele, os leitos também serão utilizados para cirurgias eletivas, “que temos condições de fazer, mas não temos leito pós-operatório”.

De acordo com último relatório divulgado pela Secretaria de Saúde, o DF tem 401 leitos de UTI, sendo 98 bloqueados – 49 por falta de pessoal. A pasta informou ao G1 que, nesta segunda (1º), 89 pacientes aguardavam leitos, sendo 81 adultos, cinco pediátricos e três neonatais.

Entre os servidores nomeados, 53 são médicos que vão atuar na Saúde da Família. “Quando há atenção primária, as emergências nos hospitais são desafogadas”, disse Fonseca. Segundo ele, o DF tem 13 hospitais e 6 Unidades de Pronto-Atendimento, “todas lotadas”.

“Entre 70% e 80% dos pacientes poderiam ser encaminhados para uma das 175 unidades básicas.”

Se todos os médicos tomarem posse, o DF terá 84 profissionais na Saúde da Família – 75% do quantitativo ideal, segundo o secretário. A meta do governo é preencher todas as vagas até julho de 2018. Segundo Rollemberg, 20% de todos os servidores convocados desde o início da gestão, em 2014, não tomaram posse.

UTIs onde?

De acordo com o secretário de Saúde, serão reabertos dez leitos de UTI adulta no Gama, oito em Ceilândia, dois em Samambaia, quatro em Sobradinho, seis pediátricos e oito neonatais no Hospital Materno Infantil, 12 neonatais em Santa Maria e oito neonatais em Taguatinga. No Hospital Regional da Asa Norte serão reabertos dois leitos de Unidades de Cuidados Intensivos.

Nomeações

Serão nomeados 468 técnicos, sendo 148 em higiene dental, 220 em enfermagem, 85 administrativos, 8 em radiologia e 7 em laboratório. Também devem assumir 30 auxiliares de operações de serviços em farmácia e anatomia patológica; 20 cirurgiões dentistas e 36 enfermeiros.

Os médicos serão 103 em várias especialidades – sendo 53 alocados em unidades de Saúde da Família. Outros 66 profissionais entre biomédicos, nutricionistas, psicólogos, farmacêuticos-bioquímicos, assistentes sociais e fisioterapeutas.

De acordo com o secretário de Saúde, pediatras não serão contratados porque todos os aprovados no concurso de 2014 “já foram chamados”.

Desistência

Berços da pediatria do Hospital Regional do Gama (HRG) (Foto: Secretaria de Saúde/Divulgação)

Sobre a possibilidade de desistência dos servidores, como ocorreu com a exoneração de 19 profissionais que haviam sido alocados no Hospital Regional do Gama, Fonseca afirmou que as categorias nomeadas têm altos índices de permanência.

“Os médicos são mais difíceis, porque 50% não tomam posse. Mas outras categorias, como os técnicos de enfermagem, têm índices altos de posse.”

No Gama, 9 dos 22 profissionais pediram demissão ainda na primeira semana de trabalho, e outros cinco saíram nos dias seguintes. “Abrimos 107 vagas e 56 foram aprovados. Destes, 22 tomaram posse no Gama, mas tivemos 19 exonerações”, disse Fonseca.

Segundo a Secretaria Saúde, isso aconteceu porque a contratação foi feita pelo piso salarial, atendendo a exigência do Ministério Público, e a demanda por atendimento estava o dobro da normalidade.

Fonseca informou que um processo de concurso regular está em andamento para a contratação de novos pediatras e profissonais em medicina intensiva e neonatologia. Neste ano, também deve ser inaugurado o bloco 2 do Hospital da Criança, que, segundo Rollemberg, vai aumentar o número de leitos de 120 para 219, sendo 38 de UTI pediátrica.

FONTE: G1 DF

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*