Funcionária de creche confessa ter deixado bebê que não queria dormir no banheiro, diz DDM

A funcionária de creche suspeita de trancar no banheiro uma bebê de 1 ano e 7 meses que não queria dormir confessou ter deixado a criança no local, afirma a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) nesta segunda-feira (8). O caso ocorreu em 27 de abril na Escola Municipal de Ensino Infantil (EMEI) Benedicta Barros, na Vila Piedade, em Itapetininga (SP). A mulher é investigada por maus-tratos e, caso condenada, pode pegar até dois anos de prisão. A prefeitura afastou a funcionária durante as investigações.

Segundo a delegacia, a suspeita confirmou que deixou a menina no banheiro da creche, mas alega que o fez porque a criança estava agitada e com medo do escuro na sala da soneca, onde as outras crianças estavam. Em depoimento, a funcionária afirmou que o berço da menina ficava próximo à porta do banheiro e, por esse motivo, ela levou a criança em uma cadeirinha no local para se acalmar, pois havia claridade. Ela também defende-se dizendo que não deixou a bebê sozinha e que a ação não durou mais de três minutos.

Outra funcionária da creche foi ouvida pela delegacia. Segundo a colega de trabalho, ela não viu a criança ser colocada no banheiro, pois saiu da sala para entregar outro aluno aos pais. Mas ao retornar à sala de soneca viu a menina assustada no banheiro. Ainda de acordo com a funcionária, em seguida ela repreendeu a suspeita por ter deixado a bebê no local e levou a menina de volta com as demais crianças. A testemunha não afirmou se encontrou a suspeita junto com a criança no banheiro. A colega de trabalho da suspeita foi quem contou à mãe da criança o que aconteceu.

A delegacia informa que todos as testemunhas já foram ouvidas e que o processo foi concluído e enviado ao Juizado Especial Criminal (Jecrim) com a acusação de maus-tratos.

FONTE: JORNAL GLOBO.COM

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*