Com mãe e padrasto presos, corpo de garoto achado em caixa segue no IML

O corpo do garoto Antônio Jorge Ferreira da Silva, de 9 anos, achado dentro de uma caixa de papelão, em Goiânia, segue à espera de liberação no Instituto Médico Legal (IML). Segundo o órgão, até às 6h30 desta terça-feira (23), nenhum familiar havia ido ao local para fazer a retirada. A mãe dele, Geane da Silva de Oliveira, de 27 anos, e o companheiro dela, Renato Carvalho Lima, de 20, foram presos suspeitos do crime.

Funcionários do IML informaram à TV Anhanguera que um parente do Maranhão está viajando para Goiânia para realizar o procedimento. De acordo com o instituto, Antônio foi asfixiado por estrangulamento.

O crime ocorreu na última sexta-feira (19). Conforme a polícia, Renato enforcou o menino com um lençol na casa da mãe e deixou o corpo dentro da caixa na oficina que fica embaixo do imóvel. No outro dia, levou a vítima para um matagal.

Ao ser preso, segundo a polícia, ele confessou que cometeu o crime a pedido de Geane. Ela, porém, nega qualquer participação no homicídio.

No IML, também foi recolhido material sob as unhas da vítima para identificar se há vestígios do DNA do padrasto, que teria estrangulado a criança. A corporação também deve analisar se há vestígios de abuso sexual. Para os testes, os dois suspeitos devem fornecer material genético à Polícia Civil.

 Mãe e padrasto são presos suspeitos de matar menino estrangulado em Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhangura)

Mãe e padrasto são presos suspeitos de matar menino estrangulado em Goiânia (Foto: Reprodução/TV Anhangura)

FONTE: G1GO

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*