Mabel deixa governo Temer

O ex-deputado era um dos que despachavam do terceiro andar do Palácio do Planalto

O ex-deputado federal goiano Sandro Mabel (PMDB) entregou uma carta de demissão a Michel Temer, pedindo exoneração do cargo de assessor especial da Presidência da República. A justificativa foi que ele teria solicitado saída ainda em dezembro, mas que Temer teria feito um apelo pela permanência do peemedebista. Na semana passada, o MPF em Goiás requisitou à Polícia Federal a instauração de inquérito contra Mabel, para apurar supostos ilícitos ocorridos em 2010, envolvendo ex-executivos da Odebrecht.

De acordo com a investigação, ex-executivos da construtora relataram pagamentos feitos, supostamente para doação de campanha, a Mabel, quando este concorria a uma vaga de deputado federal em 2010. O valor teria sido de R$ 100 mil, pagos por meio de recursos não contabilizados, mas registrados no sistema informatizado da construtora de pagamentos ilegais. Os ex-executivos da Odebrecht informaram também que Mabel teria recebido mais R$ 140 mil ainda em 2010.

Em carta enviada a Temer, Mabel diz que deixa o cargo por motivos familiares e de negócios, de acordo com planos que já teriam sido informados ao presidente em dezembro do ano passado. “No início de dezembro passado expliquei que precisava voltar pra casa como havia prometido à minha mulher e aos meus filhos, mas atendi a seu pedido para que ficasse mais 120 dias. Novamente em fevereiro lhe reafirmei a minha necessidade de realmente retornar à minha casa e reassumir meus negócios”.

A amizade entre Sandro Mabel e Michel Temer começou quando ambos exerciam mandato de deputado federal. O goiano o apoiou para a presidência da Câmara Federal e atuou nos bastidores pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), principalmente junto aos deputados federais.

Quatro assessores

Na véspera, foi a vez de outro assessor direto de Temer, Tadeu Filippelli, deixar o cargo, preso pela Polícia Federal na Operação Paratenaico, investigado por fraudes nas licitações das obras de reconstrução do Estádio Nacional Mané Garrincha. O Diário Oficial da União de ontem (24) publicou a exoneração de Filippelli.

Mabel é o quarto integrante da assessoria especial de Temer a deixar o cargo. Antes dele e de Filippelli, José Yunes foi afastado, em dezembro, depois de ter sido citado na delação do ex-diretor de relações institucionais da Odebrecht Cláudio Melo Filho; e Rodrigo Rocha Loures foi afastado do mandato na semana passada, após decisão do STF.

Tadeu Filippelli é investigado pelos crimes de corrupção e de lavagem de dinheiro e ainda de associação criminosa. De acordo com a investigação, ele é suspeito de ter sido beneficiado com o superfaturamento das obras do estádio.

Íntegra da carta de Sandro Mabel:

“Caro Presidente Michel Temer,

O tempo passou e as nossas lutas só aumentaram de tamanho e importância, porém sempre continuaram sendo lutas em benefício do nosso Brasil.

Tenho muito orgulho e é uma honra para mim participar de desafios ao seu lado, principalmente deste, quando em junho de 2015 tentei convencê-lo de que o Brasil não poderia continuar na situação deplorável em que se encontrava com a economia afundando e um futuro totalmente incerto, necessitando, portanto, de uma mudança urgente no comando.

Você, com sua discrição peculiar, não admitia nem mesmo falar sobre o assunto, porém, com o passar dos meses e o agravamento da crise, seu senso de responsabilidade falou mais alto.

De lá para cá, nossa só luta aumentou em prol de um Brasil melhor. Graças ao Bom Deus e sua credibilidade, iniciou-se uma nova era, uma era de recuperação de um Brasil que havia sido praticamente destruído.

Agradeço a oportunidade de ter passado quase dois anos participando de decisões importantes e de ter servido a você ao nosso País.

Trabalhei como voluntário, sem remuneração e sem despesas para os cofres públicos, porém, com muita garra, amor e determinação no intuito de ajudá-lo a dar esse ponta pé inicial. Foi uma missão árdua, da qual me orgulho por vê-lo desempenhando-a com tanta determinação e competência.

Como lhe afirmei deste o primeiro momento, nunca tive a intenção de assumir cargo público, e que lhe ajudaria até que se tornasse definitivamente o Presidente do Brasil.

No início de dezembro passado, lhe expliquei que precisava voltar para casa, como havia prometido à minha mulher e a meus filhos, mas atendi a seu pedido para que ficasse mais cento e vinte dias. Novamente em fevereiro lhe reafirmei a minha necessidade de realmente retornar à minha casa e reassumir meus negócios.

Dia 30 de março completaram cento e vinte dias e novamente pude lhe expor a dificuldade que enfrentava junto a minha família para permanecer em Brasília. Na semana passada, mais precisamente no dai 18 de maio, obtive a sua concordância para retornar a minha família e aos meus negócios.

Venho agora, através desta carta lhe agradecer a oportunidade de, ao seu lado, ter participado na construção de um Brasil melhor e lhe comunicar que, a partir de amanhã, conforme combinado, deixo o posto de colaborador eventual, no qual servi seu governo.

Saiba que tenho o maior apreço por você, meu amigo, e me orgulho de sua competência e capacidade em arrumar soluções a uma nova era de prosperidade e desenvolvimento. Tenho certeza que esse será seu legado para nosso povo.

Parabéns Michel, que Deus o abençoe sempre, dando-lhe bastante saúde e muita sabedoria para cumprir sua missão.

Forte abraço, Sandro Mabel”

 

Fonte: Diário da Manhã

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*