Filha de mulher morta em acidente com Kombi crê que sono e cansaço do motorista contribuíram para batida

filha da cozinheira Terezinha Rosa de Jesus Sousa, de 53 anos, que morreu em um acidente de Kombi em Goiânia, acredita que o sono e cansaço do motorista possa ter contribuído para a batida. A mulher estava no banco do passageiro da frente do veículo e voltava de um evento. Nove pessoas ficaram feridas.

Segundo Silvani Jesus Sousa Silva , que também já trabalhou no mesmo local, era comum os motoristas acumularem a função de garçom e trabalharem durante toda a madruga.

Para ela, isso pode ter contribuído para o acidente que terminou na morte da mãe. “Eu acredito, pela câmera que a gente viu, pela velocidade que ele vinha, que dormiram. O motorista não fica só por conta de dirigir. Ele dirige, busca uma coisa, faz um evento, dirige. Ele não dorme”, disse.

À polícia, o motorista disse que o veículo apresentou um problema mecânico. O veículo vai ser periciado e esse fator ainda será investigado.

 A Kombi desceu a Avenida 83, no Setor Sul, em alta velocidade. O impacto foi tão forte que a traseira da Kombi chegou a levantar. Em seguida, é possível ver alguns dos ocupantes saindo do carro.

Kombi bateu de frente contra poste na Avenida 83, em Goiânia (Foto: Divulgalção/Polícia Civil)

Kombi bateu de frente contra poste na Avenida 83, em Goiânia (Foto: Divulgalção/Polícia Civil)

Silvani disse que a mãe trabalhava no buffet há 10 anos. Muitas vezes, ela chegava até a dormir no próprio local de trabalho devido à grande quantidade de eventos para ser fazer. Ainda abalada com a morte da mãe, ela conta que temia pela segurança dela. “Eu sempre pedia para ela muito cuidado, porque trabalhar a noite, vinha todo mundo de madrugada, muito perigoso”, completou.

Por telefone, o buffet Hanna Buffet informou à TV Anhanguera que vai verificar as denúncias feitas pela família da vítima, pois a empresa desconhece o acumulo de funções citados. Além disso, a empresa declarou que todos estão “consternados” com o acidente e que não sabem “as circunstâncias em que aconteceu essa tragédia”.

O buffet afirmou ainda que a empresa está priorizando prestar “todo auxílio possível” aos feridos e à família da vítima fatal e explica que os ocupantes do veículo não eram funcionários do estabelecimento, mas sim prestadores de serviço.

Feridos

Dos feridos, duas mulheres foram atendidas no Cais Vila Nova com ferimentos leves nas pernas e já tiveram alta. Outra passageira foi encaminhada para o Centro de Referência em Ortopedia e Fisioterapia (Crof) e também liberada.

Seis passageiros foram levados para o Hospital de Urgência de Goiânia (Hugo). Dois já tiveram alta e três passaram por cirurgia. Segundo o boletim médico divulgado pela unidade no domingo (11), eles estão em estado regular.

A sexta pessoa é uma mulher de 40 anos que estava grávida de 25 semanas. No acidente, ela perdeu o bebê e foi encaminhada para o Hospital Materno Infantil (HMI), para a retirada do bebê. A unidade informou que o estado de saúde dela é estável. Ela tomou medicamentos para que seja feito o parto normal. Se não conseguir, será feito uma cesárea para retirar o bebê.

Investigação

A Delegacia de Crimes de Trânsito de Goiânia (Dict) investiga o acidente. Segundo a delegada Nilda Andrade, o motorista foi ouvido no hospital e alegou que a barra de direção se quebrou, provocando o acidente. Ela apura a questão, mas vê incongruências na possibilidade.

“Ele disse que depois disso, não conseguiu segurar a direção. Porém, não há nenhum sinal de frenagem na pista. Então, vamos pedir que um mecânico avalie a situação para saber se, de fato, houve esse problema mecânico”, disse à imprensa.

Vídeo mostra acidente com Kombi em Goiânia (Foto: Reprodução/G1)

FONTE: G1GO

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*