Saúde colore cada vez mais o seu calendário

Na busca de conscientização das pessoas sobre a importância de cuidar da saúde, diversas campanhas surgem empenhadas em incentivar a prevenção de doenças por todo o país, associando-as a cores. A mais popular é o Outubro Rosa, campanha a favor da mulher que surge no final do século vinte e alerta sobre o câncer de mama. Depois dessa, o Novembro Azul lembra dos homens e ganha força no combate ao câncer de próstata.

Julho é outro mês que é marcado pela mobilização da sociedade com ações voltadas para a prevenção de doenças. O chamado Julho Amarelo propõe a divulgação de informações que visam o diagnóstico precoce dos diversos casos de Hepatite. Desde 2010 o dia 28 de julho é reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais.

Desde 2015 o mês também se colore da cor verde. Com o objetivo de chamar ainda mais a atenção da população, a International Federation of Head and Neck Oncology Societies (IFHNOS) – uma Federação de Sociedades de Oncologia e Cabeça e Pescoço Mundial –, de Nova York, criou o Julho Verde, que se dedica a conscientização, alerta e dicas de prevenção do câncer de cabeça e pescoço.

Esse tipo de câncer ataca a nasofaringe (cavidade nasal), a orofaringe (boca), a laringe, a hipofaringe e pode ser causado por vários fatores de riscos, porém, ainda é muito escassa a divulgação sobre esse tipo de doença.

No Centro-Oeste, o Hospital Araújo Jorge (HAJ) é o maior centro especializado no diagnóstico e no tratamento deste tipo de câncer. O cirurgião oncológico José Carlos de Oliveira, da Associação de Combate ao Câncer em Goiás (ACCG), mantenedora do HAJ, é um dos especialistas em cabeça e pescoço na Instituição. De acordo com ele, o tabagismo e a ingestão de bebidas alcoólicas são fatores destacados para o surgimento da doença.

“De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), no Brasil, 428 pessoas morrem por dia devido ao hábito de fumar. E 12,6% de todas as mortes que ocorrem no país podem ser atribuídas ao tabagismo. Infelizmente, muitos casos de câncer já chegam em estado avançado e isso piora muito o prognóstico, diminuindo a expectativa de vida do paciente”, exemplifica o cirurgião.

Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço (SBCCP), a associação dos hábitos de beber e fumar multiplica em até 20 vezes a chance de uma pessoa saudável desenvolver algum tipo de câncer de cabeça e pescoço. Porém, a infecção pelo papilomavírus (HPV) tem contribuído, nos últimos anos, para o aumento na incidência desta doença.

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*