Goianos ainda têm R$ 17,9 milhões do FGTS inativo para sacar, diz Caixa

Mais de 200 mil trabalhadores goianos ainda não sacaram Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) das contas inativas, o que representa, segundo a Caixa Econômica Federal, R$ 17,9 milhões. O prazo para sacar o dinheiro termina na próxima segunda-feira (31) para os nascidos de todos os meses e não há previsão de prorrogação.

De acordo com a Caixa, mais de 946 mil goianos já sacaram o fundo. Conforme o banco, isso corresponde a 82,2% dos trabalhadores que têm direito. O banco informou ainda que, até a publicação desta reportagem, não estava prevista abertura diferenciada das agências durante a última semana para os saques.

Tem direito a fazer os saques das contas inativas o trabalhador que pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015. O trabalhador não pode sacar o FGTS de uma conta ativa, ou seja, que ainda receba depósitos pelo empregador atual.

Se o beneficiário não retirar o dinheiro até o próximo dia 31, o valor voltará para a conta do FGTS e ele só conseguirá sacá-lo se estiver enquadrado nas hipóteses que permitem o saque do FGTS, como trabalhadores ou dependentes portadores do vírus HIV; pessoas em tratamento contra o câncer; doentes em estágio terminal em razão de doença grave, ou se ficar pelo menos três anos sem receber depósito de empregadores no Fundo de Garantia.

Canais de atendimento

A Caixa criou o site exclusivo para as contas inativas, na qual o trabalhador pode visualizar o saldo, a data do saque e os canais disponíveis para realização do pagamento.

Outra opção de atendimento é o Serviço de Atendimento ao Cliente pelo 0800 726 2017, em que é possível saber se a conta vinculada está apta para recebimento do valor disponível para saque, além de informações sobre os canais de pagamento.

Para realizar a consulta do saldo no 0800 ou no site, o trabalhador deve informar seu número de CPF ou PIS/PASEP (NIS) – veja como localizar o número do seu PIS ou NIS pela internet.

FONTE: G1GO

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*