PRESIDENTE DA CÂMARA “MUNDIM” E DEMAIS VEREADORES CONSEGUEM COMPROMISSO VERBAL DO GOVERNADOR DE OCUPAR NOVO PRESÍDIO COM PRESOS DE FORMOSA

Foto facebook

Após anunciar que faria a transferência para Formosa de 300 presos condenados, atualmente cumprindo pena no Presídio de Aparecida de Goiânia, o Governo de Goiás cedeu às pressões e voltou atrás. O movimento contrário e de repúdio às pretensões do Estado, tiveram início com a manifestação do Ministério Público, através do promotor de Justiça, Douglas Chegury, que promoveu audiência pública para discutir o assunto junto à população, prefeito e vereadores. A partir dai o prefeito Ernesto Roller e todos os vereadores se envolveram na questão, embalados pela repercussão negativa da notícia dessa transferência. Ernesto chegou a anunciar, por meio da Rádio 92 FM, que durante uma conversa por telefone com o governador Marconi Perillo, teria ouvido dele que a ocupação do novo presídio seria feita primeiramente pelos detentos existentes em Formosa, anunciando ainda, segundo o prefeito a demolição do “Cadeião”; localizado no Centro da cidade. O desfecho do assunto aconteceu na tarde dessa quarta-feira, dia 7 de fevereiro, durante a visita de Marconi à Formosa, quando uma comissão de vereadores, encabeçada pelo presidente da câmara municipal, Edmundo Dourado o “Mundim”, ouviu do govenador, já no aeroporto de volta a Goiânia, que os presos com condenações de Formosa, cerca de 200, irão ocupar o novo presídio e que além disso o “Cadeião”, será mesmo desativado. O novo presidio, localizado na saída para Planaltina de Goiás, será inaugurado nessa sexta-feira, dia 9 de fevereiro às 9 horas. Com capacidade para 300 detentos as vagas restantes deverão ser ocupadas por apenados de outras cidades.

De jander Paulo

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*