Presídios recebem reforço de 800 vigilantes penitenciários

Eles concluíram curso de formação e serão encaminhados para regionais de origem onde farão estágio supervisionado em presídios

Oitocentos Vigilantes Penitenciários Temporários (VPTs) concluíram o curso de formação e terão solenidade de formatura nesta quarta-feira (20/2). Em Goiânia, a a cerimônia para 450 alunos, acontece no auditório da Academia da Polícia Militar, no Setor Leste Universitário, às 9 horas, com a presença do diretor-geral da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP), coronel Edson Costa.

Outras duas solenidades ocorrem simultaneamente em Luziânia e Formosa. Nessas regionais, 350 novos vigilantes receberão os certificados de conclusão do curso. Eles concluíram os módulos I e II, e a partir de agora serão encaminhados para as regionais de origem onde farão o estágio supervisionado.

As aulas tiveram início no último dia 5 de fevereiro e devem ser concluídas no dia 14 de março. Na primeira etapa, os vigilantes frequentaram 95 horas-aulas. Outras 120 horas serão contabilizadas com a conclusão do estágio supervisionado.

Nos próximos dias está previsto o chamamento, aos convocados que já apresentaram documentação, para o III Curso de Formação para VPT de 2018. A convocação é referente ao processo seletivo realizado em 2016 pela Escola de Governo Henrique Santillo, da Secretaria de Gestão e Planejamento (Segplan).

As aulas para a próxima turma tem início no dia 5 de março e a listagem deve ser divulgada em breve no site da DGAP (www.seap.go.gov.br).

Com a conclusão de todas as etapas desta segunda turma, o Governo de Goiás garante mais mil vigilantes temporários no sistema penitenciário do estado, só em 2018. Para o diretor-geral, coronel Edson Costa, o chamamento dos servidores temporários é um paliativo importante para que o sistema esteja em condições de fazer a segurança nas unidades.

“É uma das medidas que o estado de Goiás está concretizando para reforçar a segurança e para que tenhamos mais garantias no controle da população carcerária”, afirmou.

 

Do Jornal Opção.

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*