Para marcar Dia da Mulher Saúde realiza uma série de ações

A Secretaria da Saúde de Goiás (SES-GO) realiza até o próximo dia 9, sexta-feira,  uma série de eventos pelo  Dia Internacional da Mulher  para informar sobre prevenção e doenças às servidoras e usuárias do Sistema Único de Saúde. Uma das ações, coordenada por equipes da Superintendência de Atenção Integral à Saúde (Spais) e da Superintendência de Vigilância em Saúde (Suvisa), é direcionada às mulheres que cumprem pena no Presídio Feminino e na Casa de Prisão Provisória (CPP), em Aparecida de Goiânia.

Trata-se de um Ciclo de Palestras sobre diversos temas, entre os quais a violência doméstica, doenças crônicas, infecções sexualmente transmissíveis, diabetes, problemas renais e direitos das mulheres. Também serão realizados sorteios e cuidados de beleza promovidos por empresas e profissionais parceiros.

Está prevista, ainda, a realização de atividades nas unidades hospitalares administradas por organizações sociais. Com a efetivação destes eventos, a SES-GO procura cumprir a missão de oportunizar a assistência, nos seus diferentes níveis, de forma universal e integral, a todo e qualquer usuário do SUS. Atualmente, conforme dados da Diretoria de Administração Penitenciária, 50 mulheres estão recolhidas na Casa de Prisão Provisória (CPP) e outras 56 cumprem pena no Presídio Feminino.

A SES-GO atua como parceira da Diretoria de Administração Penitenciária na realização de ações pontuais. Além disso, disponibiliza mensalmente para a Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia recursos da ordem de R$ 300 mil para contratação e pagamento de salários de profissionais que integram seis equipes responsáveis pela assistência médica, social e psicológica dos detentos.

Violência
A programação para o Dia Internacional da Mulher neste ano terá como viés a violência sofrida pelas mulheres. Segundo o relatório e os 10 anos de Lei Maria da Penha (Boletim Epidemiológico vol. 8, N° 1 – GVE/Suvisa, publicado em maio de 2017) a violência física foi a que mais demandou atendimentos nas unidades de saúde no Estado, tendo o local de ocorrência a residência e o parceiro o principal autor, mantendo assim a violência doméstica e intrafamiliar coViolência contra a mulher o grande desafio no campo das políticas públicas que precisam emergir para combater esse cenário.

O Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde registra, de forma compulsória, os atendimentos realizados pelo Sistema Único de Saúde diante da suspeita de violência contra as mulheres que demandam atenção médica no sistema. Do total de 10.291 notificações de violência registradas em Goiás no período de 2007 a 2017, 63,59% correspondem a notificações de violência contra o sexo feminino envolvendo todas as faixas etárias sendo maior a incidência entre 20 e 39 anos.

Os estudos e dados revelam que a violência contra a mulher é um problema grave de saúde pública que merece atenção da sociedade e órgãos governamentais.  Para prestar este tipo de atendimento, a SES-GO dotou o Hospital Estadual Materno Infantil Dr. Jurandir do Nascimento (HMI) com uma equipe especializada para assistência às vítimas de violência. Além disso, por meio da Gerência de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente, é responsável pela implantação, implementação e acompanhamento das políticas públicas de atenção integral à saúde da Mulher, em parceria com o Ministério da Saúde e as secretarias municipais de Saúde.

A rede de atendimento à mulher vítima de violência também é composta por duas unidades da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, da Polícia Civil; Pontifícia Universidade Católica de Goiás; Centro de Referência Estadual da Igualdade, da Secretaria Cidadã e o Centro de Valorização da Mulher Consuelo Nasser (Cevam).

Dentre os programas mantidos pelo Cevam, destaca-se a Casa Abrigo Nove Luas, mantida pela instituição em favor de mulheres, crianças e adolescentes que se encontram em situação de violência e risco de morte, assegurando abrigo e apoio psicossocial, jurídico e pedagógico. Anualmente a Casa Abrigo Nove Luas acolhe cerca de mil pessoas.

Em 2017 foi instituído Grupo Técnico Interinstitucional para estruturação e implementação da Rede de Atenção a Pessoas em Situação de Violência, composta por instituições e entidades que desenvolvem ações de atenção a pessoas vítimas de violência e que disponibilizam, de forma articulada, cooperativa e complementar seus serviços para o seu atendimento.

Comunicação Setorial da Secretaria da Saúde de Goiás
Mais informações: (62) 3201-3784,  3201-3816 e 3201-3811

Do Goiás Agora

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*