Em seminário da Folha, Marconi destaca avanços de Goiás nos últimos anos

Os avanços econômicos e sociais do Estado de Goiás, de 1999 para hoje, foram tema de palestra do governador Marconi Perillo hoje de manhã, na abertura do Seminário Inovação no Brasil: Centro-Oeste, organizado pelo jornal Folha de S. Paulo, no K Hotel, em Goiânia.

Principal palestrante do evento, Marconi abriu o seminário destacando o salto da economia goiana, cujo PIB passou de R$ 17 bilhões em 1999 para R$ 180 bilhões em 2017, devendo chegar ao final deste ano a R$ 200 bilhões.

A relação dívida/receita em 1999, informou, representava 3,6 anos de receita para pagá-la integralmente,  e hoje é de 0,92 ano. Nos últimos anos,  o crescimento econômico do estado, ressaltou, esteve sempre acima da média nacional.

A pauta de exportações, que em 1998 era de 384 milhões de dólares, em transações para 40 países, hoje é de aproximadamente 8 bilhões de dólares, abrangendo mais de 140 países.  Embora o setor do agronegócio continue sendo uma das referências de Goiás, Marconi observou que o setor da indústria foi o que mais cresceu nos últimos anos, 26%. O Estado é hoje a 3ª maior província mineral do Brasil.

No seminário, o governador fez referência ao exemplo do Grupo São Salvador Alimentos, que detém as marcas Super Frango e Boua. A empresa, que há alguns anos não exportava “nem pé de frango” para outros países, hoje, “num caso retumbante de sucesso”, comercializa com mais de 60 nações.

Ele falou ainda dos avanços na Saúde, com a acreditação, com o Certificado ONA, de cinco hospitais da rede estadual, um deles, o Crer que detém o ONA 3, símbolo de excelência em gestão hospitalar.

Falou também da ampliação da rede Vapt Vupt, que conta com 80 unidades em todo o estado, os investimentos em infraestrutura no âmbito do programa Goiás na Frente, com R$ 8 bilhões em investimentos entre poder público e iniciativa privada, duplicações de estradas, e de Estações de Tratamento de Esgoto, que em 1999 eram 12 e hoje são quase 100. “Há muito o que se fazer, mas em Goiás o governo não atrapalha a economia, o desenvolvimento”, arrematou Marconi, que citou ainda os investimentos de mais de R$ 200 milhões em ciência e inovação, por meio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Goiás (Fapeg).

 

Do Diário de Goiás.

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*