Idosa é encontrada morta, amordaçada e com braços e pernas amarrados, em Caldas Novas

A suspeita da corporação é que a idosa tenha sido vítima de um assalto, já que o aparelho de TV dela não foi encontrado na residência. Polícia Civil apura o caso.

Uma aposentada de 65 anos de idade foi encontrada morta dentro de casa, nesta quarta-feira (28), em Caldas Novas, na região sul de Goiás. De acordo com a Polícia Militar, a idosa estava amordaçada e com os braços e pernas amarrados. A suspeita da corporação é que a idosa tenha sido vítima de um assalto, já que o aparelho de TV dela não foi encontrado na residência.

Segundo o tenente-coronel Carlos Eduardo Belelli, testemunhas disseram que a aposentada estava varrendo a porta de casa quando foi abordada por indivíduos suspeitos.

“Pelo que a gente viu, os elementos viram ela limpando a porta da casa, o que elas faziam todos os dias. Eles adentraram junto com ela e, a partir daí amarraram e amordaçaram esta senhora. Em detrimento de ser uma senhora de idade, ao que foi relatado, com problemas de saúde, problemas para respirar, veio a óbito”, disse o policial.

O caso ocorreu na manhã desta quarta-feira, na Rua 32, Setor Itaici 1, em Caldas Novas. O tenente-coronel afirmou que familiares da aposentada informaram que ela morava sozinha e tinha o hábito de guardar dinheiro em espécie dentro de casa. A PM acredita que o crime foi cometido por mais de uma pessoa.

“Este tipo de situação, ficamos muito triste. Trata-se de uma pessoa de bem. Uma senhora de idade que veio a óbito por conta de um latrocínio. Mas tudo que podemos estamos fazendo para localizar quem cometeu este crime”, disse o policial.

O caso é investigado pela Polícia Civil de Caldas Novas. Em nota, o delegado regional Ricardo Chueire informou que “desde que a Polícia Civil tomou conhecimento do caso, Policiais Civis estão em diligências referentes ao caso, visando apurar a autoria do delito e prender quem for identificado”.

O corpo de idosa foi levado para o Instituto Médico Legal (IML), e, segundo o órgão, já foi liberado à família.

Do G1 Goiás.

print