Operação apura suspeita de superfaturamento na compra de cartuchos e combustíveis na Prefeitura de Crixás

MP-GO e Polícia Civil cumprem mandados na Prefeitura de Crixás, em Goiás (Foto: Fagner Pinho/MP-GO)

MP-GO entrega notificações de afastamento do prefeito da cidade, Plínio Paiva (PMDB), da secretária de Administração e de outros 10 servidores. Órgão diz que esquema beneficiava parentes.

Uma operação do Ministério Público de Goiás (MP-GO), deflagrada nesta quarta-feira (6), apura a suspeita de fraudes e superfaturamento na compra de cartuchos de impressoras e combustíveis na Prefeitura de Crixás, na região noroeste de Goiás. Segundo o órgão, estão sendo afastados o prefeito Plínio Paiva (PMDB), a secretária de Administração, Aulcilene de Lima e outros 10 servidores municipais.

G1 tentou contato às 7h30 desta quarta-feira, por email e telefone, com a Prefeitura de Crixás, bem como com a Secretaria Municipal de Administração da cidade, mas não houve retorno até a publicação desta reportagem.

A Operação, denominada Gota Dourada, foi deflagrada nesta manhã, em residências, empresas na sede da Prefeitura de Crixás. De acordo como MP-GO, são cumpridos oito mandados de busca e apreensão no prédio da administração municipal. O local, segundo o órgão, está bloqueado para entrada de servidores e funcionários.

As notificações de afastamento, conforme divulgou a assessoria de imprensa do Ministério Público, foram expedidas pelo Tribunal de Justiça de Goiás.

Prefeito de Crixás, Plínio Paiva, é notificado de afastamento, em Goiás (Foto: Prefeitura de Crixás/Reprodução)

Prefeito de Crixás, Plínio Paiva, é notificado de afastamento, em Goiás (Foto: Prefeitura de Crixás/Reprodução)

Parentes beneficiados

As investigações, coordenadas pelos promotores de Justiça Fabrício Lamas e Caio Affonso Bizon, apontaram que o esquema de fraudes e superfaturamento tinha o objetivo de beneficiar parentes de servidores municipais.

A força tarefa envolve membros do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Centro de Inteligência (CI) do MP-GO, e de 20 policiais civis.

 

 

 

 

 

Operação cumpre mandados na Prefeitura de Crixás, em Goiás (Foto: Fagner Pinho/MP-GO)

Do G1 GO

print