Prefeitura de Goiânia pode ter de devolver R$ 186 milhões ao governo federal se não retomar obras, diz CEI

(Foto: TV Anhanguera/ Reprodução)

Valor corresponde a 13 construções que estão paralisadas. Entre elas está o Hospital e Maternidade Oeste, que deveria ficar pronto em janeiro de 2019.

Comissão Especial de Inquérito (CEI) das Obras Paradas afirma que a Prefeitura de Goiânia pode ter de devolver R$ 186 milhões ao governo federal se não retomar 13 obras que estão paradas. Entre elas está a construção do Hospital e Maternidade Oeste, no Conjunto Vera Cruz.

“Peguei a lista das obras paradas e fui estudando uma por uma. Há valores que a prefeitura já perdeu em alguns casos porque não sanou problemas e vai ter de devolver para a união”, disse o relator da CEI, delegado Eduardo Prado (PV).

O G1 entrou em contato, por e-mail, com a Prefeitura de Goiânia e aguarda retorno.

O projeto do hospital conta com 179 leitos, sendo dez de Unidade de Terapia Intensiva. A obra deveria ficar pronta em janeiro de 2019, mas está parada desde o dia 12 de janeiro deste ano.

Construção do Hospital e Maternidade Oeste está parada, em Goiânia (Foto: TV Anhanguera/ Reprodução)Construção do Hospital e Maternidade Oeste está parada, em Goiânia (Foto: TV Anhanguera/ Reprodução)

Responsável pela construção do hospital, a Elmo Engenharia informou, em janeiro, que não recebeu pelo executado entre julho e dezembro de 2017.

Depois da paralisação, em março deste ano, os vereadores levantaram um documento enviado pela Caixa para a Prefeitura que aponta o crédito de recursos financeiros bloqueados no valor de R$ 1.165.839,67. A liberação da quantia só ocorreria quando a administração municipal pagasse contrapartida, o que, segundo Prado, ainda não ocorreu.

De acordo com os parlamentares, a Caixa também pontou irregularidades no contrato. Entre elas estão o projeto elétrico da obra, que não foi aprovado pela Companhia Energética de Goiás, atual Enel.

O relator da CEI cobra a solução dos impasses o quanto antes. “Se chegar janeiro de 2019, o dinheiro vai embora para o Ministério, são R$ 50 milhões que poderiam ser aplicados em benefício da sociedade, é um dinheiro jogado no ralo, não podemos aceitar esse tipo de situação”, afirma.

Prado vai intimar a Secretaria de Saúde e os proprietários da Elmo Engenharia para prestar depoimento na CEI para explicar o motivo da paralisação. A previsão é de que eles prestem depoimento na segunda-feira (18).

O G1 também entrou em contato com a Elmo Engenharia, responsável pela construção do hospital, mas não obteve um posicionamento até a publicação desta reportagem.

Veja contratos de obras que estão paradas e a prefeitura pode ter de devolver o dinheiro:

  • Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) Chácara Governador
  • Centro de Referência da Assistência Social (Cras) Vila Isaura
  • Cras Real Conquista
  • Centro Popular Vista Bela
  • Clube do Povo
  • Pista de Skate do Mutirama
  • Praça do Jaó
  • Reforma do Zoológico
  • Centro Cultural Casa de Vidro
  • Parque Ambiental Brisas da Mata
  • Praça Buena Vista IV
  • Praça Jardim do Cerrado I

Do G1 Goiás.

print