Homem coloca fogo no carro de ex por não aceitar fim do namoro, em Anápolis

Foto: Reprodução

Perguntando do porquê de ter incendiado o carro da ex-namorada, em Anápolis, homem disse que “estava com raiva” pelo fim do relacionamento.

A Polícia Militar do Estado de Goiás (PMGO) foi acionada na tarde da última quinta-feira, em Anápolis, para atender a um caso de violência doméstica, e se deparou com um homem enfurecido pelo fim de seu relacionamento. Após ir à casa da ex-namorada e quebrar vários objetos, o homem saiu no carro da mulher e ateou fogo nele, destruindo-o completamente.

As equipes do 28º Batalhão da Polícia Militar (BPM) foram acionadas por volta de 14h50 de ontem para atender à ocorrência de violência doméstica, no Setor Jardim Progresso, em Anápolis. Ao chegarem na casa, os policiais se depararam com diversos objetos quebrados na residência da vítima. O estrago havia sido causado pelo ex-namorado, que entrou em estado de fúria após a mulher terminar o relacionamento com ele. O homem não estava no local.

Logo depois de serem acionados para atuar na ocorrência, os policiais foram novamente acionados, desta vez para atender a uma ocorrência envolvendo um carro pegando fogo numa via pública. Ao chegarem no local, a equipe se deparou com um homem próximo ao veículo em chamas. Após verificação, os policiais descobriram se tratar do mesmo homem responsável pelo estrago na casa da ex-namorada.

Perguntando do porquê de ter incendiado carro da ex-namorada, em Anápolis, homem disse que “estava com raiva”

Conforme informações da PMGO, o homem teria arrombado o portão da residência da mulher e saído no carro sem sua autorização. Ele, então, foi em sua própria residência, buscou um cobertor e o utilizou para propagar as chamas no carro da ex-namorada.

Questionado sobre o motivo de ter feito aquilo, o homem respondeu aos policiais que estava “com raiva por causa do término do relacionamento” com a vítima.

A mulher não apresentava ferimentos. O homem foi levado para a Central de Flagrantes, onde foi autuado por ameaça, dano e apropriação indébita no âmbito doméstico.

Fonte: Dia Online

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*