Um presidente na contra mão do mundo

Foto: Bandeira do Brasil Reprodução

No dia de ontem o Presidente da república fez um pronunciamento à noção. Esperávamos que desta vezes ele faria uma fala de unificação e tranquilidade a nação, que hoje vive em quarentena e tensão pelo temor do contágio do coronavírus. Mas, o que aconteceu foi totalmente o contrário. O discurso do presidente causou perplexidade em todo território brasileiro. Foi um nítido ataque à imprensa e as normas orientadas pela OMS e seguida por seu governo através do Ministério da saúde.

A radicalização do discurso adotada pelo presidente Jair Bolsonaro em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV foi uma sugestão do grupo ideológico do Palácio do Planalto, formado pelo chamado “gabinete do ódio”, tendo como ator principal seu filho Carlos Bolsonaro.

Seu discurso recebeu críticas até de Aliados ditos da direita, alegando que o tom usado pelo presidente foi equivocado.

As manifestações foi quase que imediatas, vindo de todas as partes:
O Presidente da Câmara Rodrigo Maia (que detém o poder de colocar o impeachment do presidente “pra andar”, disse:
“O pronunciamento do presidente foi equivocado ao atacar a imprensa, os governadores e especialistas em saúde pública”, criticou.

O Presidente do Congresso Nacional, Senador David Alcolumbre em nota, afirmou que o Brasil precisava de uma liderança séria, responsável e comprometida com a vida e a saúde da população.

Governadores de todas as regiões criticaram o pronunciamento de Jair Bolsonaro em rede nacional e dizem que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, perdeu legitimidade no governo, tendo em vista que o discurso do presidente foi oposto ao que vem sendo empregado e afirmado pelo Ministério.

As falas de Bolsonaro ressoaram mundo a fora, tendo até o jornal The Washington Post feito uma matéria em que afirma que o presidente minimiza a pandemia e que apenas 35% da população, de acordo com pesquisas recentes, acha que ele está fazendo um bom ou ótimo trabalho gerenciando a emergência de saúde pública.

O correto dizer agora é que a fala do Presidente da república causou histeria e deixou muita gente boquiaberto com o pronunciamento. Avaliações iniciais das grandes mídias, de pensadores e cientistas políticos é que o deu um tiro de misericórdia sem levar em conta que o que está em jogo é a saúde e a vida dos brasileiros.

Foto: arquivo pessoal. ( João Marcelo Hamú Opa/Advogado)

Por João Marcelo Hamú Opa/Advogado

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*