Brasil terá mais de 125 mil mortes por Covid-19 até o começo de agosto, de acordo com projeção de universidade dos EUA

Funcionários transportam corpo de vítima do coronavírus no Kingsbrook Jewish Medical Center, em Nova York, na quarta-feira (8) — Foto: Angela Weiss/AFP

Universidade de Washington prevê que estado com maior número de óbitos será São Paulo, com mais de 32 mil mortes, seguido do Rio, com cerca de 26 mil.

O número de mortes por Covid-19 no Brasil deve passar de 125 mil no começo de agosto, de acordo com uma previsão do Instituto para Métricas de Saúde e Avaliação (IHME, na sigla em inglês), ligado à Universidade de Washington, nos Estados Unidos.

O Brasil deve seguir o exemplo de Wuhan, na China, e o da Itália, Espanha e Nova York e impor ordens e medidas para tomar controle de uma epidemia que está crescendo rapidamente, e reduzir a transmissão do coronavírus”, disse Christopher J. L. Murray, diretor do IHME.

Sem essas medidas, o modelo do instituto mostra que o volume de mortes deve seguir em alta até o meio de julho. Haverá falta de infraestrutura hospitalar também, disse ele.

Vista aérea do Cemitério Vila Formosa, em São Paulo, com abertura de novas covas devido à pandemia do novo coronavírus (COVID-19) — Foto: Marcello Zambrana/AGIF/Estadão

Vista aérea do Cemitério Vila Formosa, em São Paulo, com abertura de novas covas devido à pandemia do novo coronavírus (COVID-19) — Foto: Marcello Zambrana/AGIF/Estadão

O instituto fez projeções por estados brasileiros até o dia 4 de agosto. Veja abaixo:

  • São Paulo: 32.043 (projeção anterior era de 36.811)
  • Rio de Janeiro: 25.755 (projeção anterior era de 21.073)
  • Pernambuco: 13.946 (projeção anterior era de 9.401)
  • Ceará: 15.154 (projeção anterior era de 8.679)
  • Maranhão: 3.625 (projeção anterior era de 4.613)
  • Bahia: 5.848 (projeção anterior era de 2.443)
  • Amazonas: 3.194 (projeção anterior era de 5,039)
  • Paraná: 626 (projeção anterior era de 245)
  • Pará: 13.524 (sem projeção anterior)
  • Espirito Santo: 2.853 (sem projeção anterior)
  • Minas Gerais: 2.371 (sem projeção anterior)
  • Alagoas: 1.788 (sem projeção anterior)
  • Rio Grande do Sul: 1.165 (sem projeção anterior)
  • Paraíba: 1.142 (sem projeção anterior)
  • Goiás: 893 (sem projeção anterior)
  • Amapá: 529 (sem projeção anterior)
  • Rio Grande do Norte: 492 (sem projeção anterior)
  • Santa Catarina: 464 (sem projeção anterior)
  • Acre: 422 (sem projeção anterior)
Por G1
print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*