França proíbe uso da hidroxicloroquina para tratar a Covid-19

Remédios que contêm cloroquina (GERARD JULIEN/AFP)

Desde o fim de março, o medicamento era utilizado de maneira excepcional nos hospitais franceses para tratar casos graves do novo coronavírus.

Hidroxicloroquina — Foto: JN
Hidroxicloroquina — Foto: JN

O governo da França proibiu nesta quarta-feira (27) oficialmente o uso da hidroxicloroquina para tratar a Covid-19 nos hospitais. A decisão foi tomada depois que duas entidades responsáveis pela saúde pública no país se declararam contrários à utilização da substância.

Desde o fim de março a hidroxicloroquina, derivado da cloroquina, um medicamento de combate à malária, era utilizada, de maneira excepcional, nos hospitais franceses para tratar casos graves do novo coronavírus. O uso em testes clínicos continua autorizado.

“Seja em consultas ou no hospital, esta molécula não deve ser prescrita para pacientes afetados pela Covid-19”, afirmou o ministério da Saúde, após a publicação do decreto de proibição no Diário Oficial.

O governo francês decidiu proibir a hidroxicloroquina depois que o Alto Conselho de Saúde Pública desaconselhou seu uso na terça-feira (26), com exceção dos ensaios clínicos, segundo a agência France Presse.

A recomendação vai no mesmo sentido de uma recomendação da Agência Nacional de Segurança de Medicamentos e Produtos de Saúde (ANSM).

A hidroxicloroquina, receitada geralmente para doenças autoimunes como o lúpus, é um dos medicamentos utilizados em testes clínicos desde o início da pandemia no planeta.

Riscos de morte e piora cardíaca

Porém, um amplo estudo publicado publicado na semana passada pela renomada revista médica “The Lancet” destacou a ineficácia da hidroxicloroquina e a cloroquina no tratamento da Covid-19. O estudo com 96 mil pacientes indicou que, além de não favorecer a recuperação dos infectados, as substâncias provocam um risco maior de morte e de desenvolvimento de arritmia cardíaca.

Após o estudo publicado na “The Lancet”, a Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu suspender temporariamente na segunda-feira os testes clínicos com a hidroxicloroquina em vários países.

Por G1

 

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*