CASE continua com impasse diante de casos positivos de COVID-19. Funcionários com sintomas deverão continuar trabalhando

Conforme informamos na matéria sobre os testes rápidos na Visconde de Porto Seguro, a eficácia do mesmo é limitada, sendo quase sempre necessário a realização de outro teste para confirmação.

Reproduzimos a informação:

 

A Anvisa diz o seguinte sobre os Testes Rápidos:

Reforçamos que a informação apresentada nesses ensaios é quanto ao estado imunológico no momento da coleta da amostra. Há um período de janela imunológica, que é o intervalo de tempo entre a infecção e a produção de anticorpos em níveis detectáveis por um teste rápido, que precisa ser considerado e que não é inferior a oito dias após o início da infecção.

Se a testagem ocorrer dentro do período de janela imunológica, o resultado do ensaio poderá ser negativo mesmo se a pessoa estiver contaminada (falso negativo). Por isso, é importante respeitar o intervalo entre os sintomas e a testagem, estar atento às informações das instruções de uso (que trazem orientações específicas sobre cada produto) e também que o teste seja executado e interpretado por profissional de saúde.

Servidores do case que fizeram exames e apresentam sintomas de febre, dispneia e falta de apetite nao poderao apresentar atestados sem perder a gratificação de quase R$800 que recebem.

Segundo fontes ouvidas pelo Lance Goiás, a Diretoria do complexo que abriga menores infratores de Formosa tem esclarecido aos servidores que mesmo com sintomas, não há como aceitar atestados sem que os mesmo percam a gratificação.

Diante da situação complicada que vivemos, inclusive financeiramente, os servidores desesperados relatam que iram cumprir suas jornadas de trabalho para não perder esses recurso em suas remunerações.

Informações que são vários funcionários que estão com sintomas e até o momento em isolamento, que caso sejam confirmados com COVID-19 e estejam trabalhando, poderão disseminar o vírus ao complexo socioeducativo.

Por Lance Goiás 

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*