Já são 2 servidores do gabinete do Deputado Estadual Claudio Meirelles com COVID-19 confirmado.

De acordo com o parlamentar, funcionário está isolado em casa, com a família. Outra servidora do gabinete estava com suspeita, mas caso foi descartado

Um servidor do gabinete do deputado estadual Cláudio Meirelles (PTC), testou positivo para a Covid-19. De acordo com o deputado, o vírus provavelmente não foi contraído na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), mas mesmo assim todos os funcionários foram colocados em quarentena.

Este é o segundo caso envolvendo a doença a aparecer no gabinete do parlamentar.No primeiro, uma servidora apresentou os sintomas e um teste rápido da doença deu positivo. Com este resultado, o gabinete foi fechado e todos os servidores foram colocados em quarentena no dia 21 de maio. Entretanto, um outro exame foi feito e descartou a doença.

De acordo com o parlamentar, o funcionário provavelmente contraiu vírus de um familiar que passou por um tratamento odontológico. Os sintomas surgiram depois que o gabinete foi fechado. “Foi Deus que ajudou”, disse Cláudio, “Com a quarentena na nossa equipe, conseguimos evitar que o vírus se espalhasse pelo gabinete e pela Assembleia Legislativa”. O servidor está em casa, isolado com a família.

O deputado disse também que já comunicou à presidência da casa e que o gabinete permanecerá fechado por enquanto. “Os estudos dizem que uma pessoa pode transmitir por até 14 dias. Vamos esperar e ver o desenrolar dos fatos. O que nos assusta é que a doença chegou à nossa porta”,complementou.

Críticas à política de combate à Covid-19

Cláudio está na zona rural de Porangatu há dois meses. Ele disse à reportagem ter feito o exame para Covid-19 antes de sair de Goiânia e que o resultado deu negativo. O parlamentar criticou as medidas tomadas pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), à pandemia, classificando-as como “falta de gestão” e ressaltando que falta experiência.

“Inicialmente, o governo de Goiás fechou todo o comércio. Fez com que vários empresários passassem dificuldades antes da hora. Agora, que é necessário fechar, ele não dá conta. Ele inverteu as coisas. Isso é inexperiência e falta de gestão. Muita gente está morrendo e ainda temos vagas nos hospitais. Quando as vagas acabarem, o que vai acontecer?”, concluiu.

POR MAIS GOIÁS 

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*