Família deixa de velar idosa por covid-19, mas depois recebe resultado negativo

Caso ocorreu em Aparecida de Goiânia, embora mulher fosse de Águas Lindas; segundo neto, Justiça será acionada. Todos os parentes que tiveram contato com a mulher testaram negativo para a doença.

Antônia Coelho Melo, de 73 anos, moradora de Águas Lindas de Goiás, morreu na quinta-feira (11) na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Buriti Sereno, em Aparecida de Goiânia. O corpo dela, no entanto, não foi velado pela porque médicos da unidade afirmaram, conforme expõem familiares, que a causa do óbito era covid-19. Dois dias depois, já no sábado (13) e depois do enterro, parentes receberam o resultado de teste aplicado na quinta para apurar a contaminação: o resultado foi negativo para coronavírus. Agora, segundo neto, a Justiça será acionada para apurar a atuação dos envolvidos, que impediu que a família fizesse a devida despedida.

De acordo com Thiago Claudino Bicalho, neto dela, a Antônia era cardíaca, tinha pressão alta, colesterol e diabetes. Ao Mais Goiás, ele ressaltou que minutos após a chegada da avó ao hospital ela pediu para ir ao banheiro e depois foi colocada na cadeira de rodas, onde deu o último suspiro. Na sequência, foi levada para a sala de reanimação, mas não resistiu.

No mesmo dia, médicos da unidade afirmaram aos parentes que covid-19 era a causa da morte. Por causa do risco de contágio, a família foi informada de que não seria possível fazer um velório. Para checar o diagnóstico, familiares exigiram que fosse feito um exame rápido para detectar a doença, o que foi negado.

Por outro lado, a unidade providenciou o teste mais completo para Antônia e os parentes que tiveram contato com a mulher realizaram o mesmo por conta própria. Enquanto aguardavam os resultados, entretanto, o corpo de Antônia foi enrolado em um saco cadavérico sem roupas e depois colocado em um caixão lacrado, que foi enterrado por uma equipe com roupas especiais para evitar qualquer alastramento da alegada doença.

No sábado (13), como previsto, a família recebeu os resultados dos exames e todos, inclusive o de Antônia, acusaram negativo para coronavírus. Segundo Thiago, o avô dele morreu, em 2017na mesma unidade“vítima de negligência médica”, afirma.

Mais Goiás tentou contato com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Aparecida de Goiânia, a qual informou que a paciente deu entrada na unidade no último dia 11, com quadro de febre e insuficiência respiratória iniciado há setes dias. Ela foi prontamente atendida, evoluiu para parada cardiorrespiratória, foi entubada, mas não resistiu.

Leia a nota completa na integra:

Secretaria de Saúde de Aparecida de Goiânia esclarece que a paciente da UPA Buriti, Antônia Coelho Melo, deu entrada na unidade no último dia 11, com quadro de febre e insuficiência respiratória iniciado há setes dias. Ela foi prontamente atendida, evoluiu para parada cardiorrespiratória, foi entubada, mas não resistiu. O médico responsável pela paciente, seguindo os protocolos do Ministério da Saúde e da Secretaria Municipal de Saúde, realizou coleta para exame de diagnóstico da Covid-19, informou aos familiares sobre a suspeita clínica e encaminhou o preparo do corpo conforme regras de óbitos suspeitos da Covid-19. Como de praxe e amplamente divulgado pela SMS, informou que o exame ficaria pronto em cerca de 48 horas. A Secretaria esclarece que todos os procedimentos ocorreram conforme as regras para esses casos e para a proteção dos envolvidos e se solidariza com a perda da família. Informa ainda que o laboratório conseguiu entregar o resultado às 22h24 do dia 11, sendo negativo para Coronavírus.

Assista ao vídeo do enterro:

Idosa não foi velada pois médicos disseram que a causa da morte era covid-19, dias depois família recebe resultado do exame que deu negativo

(Foto: Reprodução)

Fonte: Mais Goiás

 

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*