Inquérito da Polícia Civil sugere arquivamento de denúncia contra Rodney Miranda

Delegado-geral da PC, Odair José, disse que acusações de Jorge Caiado são “frágeis e inconsistentes”

Em coletiva realizada no Palácio das Esmeraldas, a Polícia Civil apresentou a conclusão do inquérito que apurou as acusações feitas ao secretário de Segurança pública, Rodney Miranda. O delegado-geral, Odair José afirmou que os autos foram remetidos á Justiça com sugestão de arquivamento.

A investigação ficou a cargo da Delegacia Estadual de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) onde três delegados conduziram e concluíram a operação. Foi feita a degravação do áudio vazado de Jorge Caiado que culminou na investigação e as oitivas de todas as pessoas envolvidas.

Os delegados colheram depoimento de Jorge Caiado, Rodney Miranda e dos comandantes do Corpo de Bombeiros, atual e anterior, além de pessoas ligadas ao serviço de inteligência da polícia.

De acordo com o delegado-geral, durante o depoimento, Jorge Caiado não apresentou elementos que comprovassem sua acusação. “Disse que ouviu apenas boatos de terceiros a respeito dos desvios e disse que suspeitou que seu celular estava interceptado por ter ecos e ruídos”.

Odair afirmou ainda que a Polícia Civil não faz interceptações, somente as operadoras mediante pedido e representação da polícia aprovada por juiz. “As polícias não têm aparelhos capazes de fazer essa captação de áudio, somente as operadoras”, ressaltou.

Sobre a denúncia de desvios de recursos no âmbito do Corpo de Bombeiros, os delegados ouviram dos coronéis que o secretário não tinha acesso a verba e que “boatos rasos sobre rateio são comuns em épocas de promoções”.

O delegado-geral considerou que a acusação de Jorge Caiado é “frágil e inconsistente” e polícia remeteu os autos ao tribunal com sugestão de arquivamento.

P͟o͟r͟ J͟o͟r͟n͟a͟l͟ O͟ ͟p ͟çã͟o͟

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*