Comércio, restaurantes, bares e academias reabrem após novo decreto, em Goiânia

Estabelecimentos precisam seguir rígidos padrões de segurança sanitária para conter disseminação do coronavírus. Veja horários em que cada setor pode funcionar.

Várias atividades consideradas não essenciais reabrem as portas nesta terça-feira (14), em Goiânia, após a publicação do novo decreto municipal de flexibilização. Voltam a funcionar estabelecimentos como lojas do comércio de rua, restaurantes, bares e academias. No entanto, é preciso seguir padrões sanitários rígidos para evitar a disseminação do coronavírus.

Os horários para cada setor abrir são diferentes e foram definidos pela Prefeitura de Goiânia . Em todos os casos, há medidas de segurança necessárias básicas, como disponibilizar álcool gel e manter o distanciamento entre as pessoas.

O decreto que permitiu a liberação,assinado pelo prefeito Iris Rezende (MDB), foi publicado na segunda-feira (13). Ele seguiu as diretrizes do regramento determinado pelo governador Ronaldo Caiado (DEM), horas antes.

Locais como bares e restaurantes vivem enorme expectativa, pois estão com as portas fechadas desde março. Nos últimos quatro meses, puderam funcionar apenas nos sistemas drive trhu e delivery. Eles poderão operar com apenas 50% da capacidade máxima.

O presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Goiás (Abrasel-GO), Fernando Jorge, salientou que o movimento neste primeiro dia deve ser pequeno por ser início de semana, mês de férias e por muitas pessoas estarem fora da cidade. Por isso, ele crê que a retomada será tranquila.

“A cidade está tranquila, acredito que reabrindo hoje, vamos abrir com a tranquilidade e passividade do goianiense na volta aos bares e restaurantes”, destaca.

O comércio de rua e shoppings chegaram a reabrir no mês passado algumas vezes após entidades vinculadas à categoria conseguir liminares na Justiça. Mas as decisões foram cassadas e os estabelecimentos tiveram de fechar novamente.

As academias puderam funcionar por alguns dias – também via decisões do Judiciário. No entanto, da mesma forma, o setor acabou sendo fechado. Para a retomada, deverão funcionar com apenas 30% da capacidade.

O presidente do Sindicado das Academias de Goiás, Dennis Egídio Gonçalves Dias, disse que, apesar da liberação, as academias terão um retorno “lento” e que alguns empresários têm receio de reabrir porque “tem medo” do Ministério Público.

“Muitos de nós ainda tem medo do Ministério Público. Isso aconteceu agora a pouco em Brasília, que abriu em um dia e o MP fechou no outro. Mas eu acredito que não [haverá decisão contrária na Justiça]. Como é uma decisão conjunta entre prefeitura e estado, não vai ter esse jogo de interesses. Esse medo do Ministério Público é pequeno”, afirmou.

Seguem proibidas de funcionar boates, salões de festas e jogos, cinemas, teatros e parques aquáticos. Também não são permitidos eventos públicos e privados de qualquer natureza, desde que presenciais.

Confira os horários de abertura e fechamento do comércio:

Início às 6h sem restrição de horário para fechamento:

  • Padarias e panificadoras.

Início às 7h sem restrição de horário para fechamento:

  • Hipermercados, supermercados, mercados e mercearias;
  • Açougues e peixarias;
  • Hortifrutigranjeiros;
  • Frios e empórios;
  • Peças e acessórios para veículos automotores;
  • Oficinas (inclusive as oficinas no interior das concessionárias);
  • Borracharias

Início às 7h30 e fechamento às 17h30:

  • Comércios essenciais ao setor agropecuário (inclusive produtos e insumos veterinários, peças e periféricos para máquinas e equipamentos agrícolas);
  • Serviços essenciais ao setor agropecuário (inclusive oficinas para máquinas e equipamentos agrícolas).

Início às 8h30 sem restrição de horário para fechamento:

  • Escritórios;
  • Profissionais liberais.

Início às 9h e fechamento às 17h:

  • Comércio varejista de rua;
  • Galerias, camelódromos e centros comerciais;
  • Empreendimentos que compõem a região da 44 (shoppings, galerias e lojas localizados na área estabelecida no Anexo Único do Decreto n.° 1313, de 13 de julho de 2020 );
  • Imobiliárias.
print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*