Lacen-GO repara equipamento e volta a operar com capacidade máxima

A capacidade de extração, que era em média 250 testes por dia, tinha caído para cerca de 70. Agora, processo voltou à normalidade

Após cerca de 12 dias funcionando com a capacidade de testagem reduzida, o Laboratório Central de Goiás (Lacen-GO) voltou a operar dentro da normalidade. Isso porque um equipamento que apresentou problemas no dia 2 de julho foi consertado e já está processando exames de covid-19 do tipo RT-PRC desde terça-feira (14).

O aparelho que havia estragado tem a função de realizar a extração automatizada e separação do RNA do vírus. A capacidade de extração, que era em média 250 testes por dia, caiu para cerca de 70. Sem o equipamento, tal processo chegou a ser realizado manualmente.

A demanda excedente estava sendo encaminhada ao Instituto Butantan, em São Paulo, já que os testes continuaram sendo feitos e o Laboratório não limitou o recebimento de amostras encaminhadas pelos municípios.

O problema atingiu, ainda, o tempo de espera pelos resultados. Com a máquina, os exames ficavam prontos em até 72h. Durante o período em que o equipamento apresentou problemas, os resultados passaram a demorar entre 4 e 10 dias.

Testagem em massa

Além do retorno da capacidade de testes do Lacen, o Governo de Goiás anunciou, na última segunda-feira (13), a testagem em massa em 78 municípios do estado para detectar casos de covid-19.

Os testes serão realizados conjunto com a Superintendência de Vigilância em Saúde (Suvisa) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). A divulgação dos resultados será em até 48 horas. Os kits para testagem já começaram a ser distribuídos e a expectativa é de que dois terços da população sejam testados.

Por Jessica Santos Do Mais Goiás 

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*