Goiânia deve retirar o nome do general Castello Branco de sua mais longa avenida

O presidente da República que merece nome importante de logradouro em Goiânia é Juscelino Kubitschek, o que mais beneficiou Goiás

Em Lisboa existe bela ponte cruzando o Rio Tejo que tinha a denominação de Oliveira Salazar, o ex-ditador português. A longa ditadura de Salazar foi derrubada pela chamada Revolução dos Cravos, ocorrida em 25 de abril de 1974. Hoje a ponte tem a denominação dessa data.

Em Madri, a principal avenida denomina-se Gran Via. Ela tinha essa designação e, quando chegou a ditadura de Francisco Franco, foi denominada José Antônio, para homenagear o falangista de extrema direita José Antônio Primo de Rivera, morto nos conflitos que antecederam a ditadura. A Gran Via hoje tem o nome original.

Goiânia deve fazer algo semelhante e tirar o nome de Castello Branco de sua mais longa avenida. (Aliás, na capital goiana, homenageia-se “Castelo”, e não “Castello”, a grafia correta do sobrenome do presidente-general.)

Castello Branco: o primeiro ditador do pós-1964 | Foto: Reprodução

Castello Branco foi um ditador que não fez nenhum benefício a Goiás. Fez foi o malefício de uma absurda intervenção federal. O presidente da República que merece nome importante de logradouro em Goiânia é Juscelino Kubitschek, o que mais beneficiou Goiás.

Por Jornal Opção. 
print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*