Doria diz que Bolsonaro continua desdenhando a gravidade da pandemia: ‘Negacionista’

RESUMO

  • João Doria (PSDB) concedeu entrevista exclusiva à Itatiaia nesta segunda-feira
  • Ele diz que não falta diálogo entre os estados no enfrentamento ao novo coronavírus
  • Doria negou ainda que os atritos frequentes com Bolsonaro tenham como pano de fundo as eleições de 2022

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), disse nesta segunda-feira, que não falta diálogo entre os estados no enfrentamento ao novo coronavírus. No entanto, Doria voltou a criticar a postura do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Entre os governadores, não faltou diálogo. Temos dialogado frequentemente. Aliás, os governadores nunca foram tão unidos quanto neste momento. Infelizmente, não posso falar o mesmo sobre o presidente Bolsonaro. Como todos sabem, ele é um negacionista. Nega a existência do coronavírus, classifica como gripezinha. Continua desdenhando da gravidade dessa crise de saúde, recomendando o consumo de cloroquina quando a medicina de qualidade indica que ela não deve ser consumida exceto em casos específicos. Essa ação de pouca cooperação com os governadores contribui, infelizmente, em muito para expansão da pandemia”.

Doria negou ainda que os atritos frequentes com Bolsonaro tenham como pano de fundo as eleições de 2022. “Da minha parte, não teve nenhum viés eleitoral. Meu viés é a defesa da saúde, dos brasileiros que vivem em São Paulo. Eleição é em 2022. Temos que pensar no povo, sobretudo a população mais humilde”. Aqui a preocupação é a saúde da população”, reforçou.

Doria se esquivou ao ser questionado se será candidato à Presidência da República.”Não é o momento desse debate. Não quero fugir à resposta, mas não é o momento. Agora temos que estar concentrados em salvar vidas e, na sequência, proteger a economia e resgatar empregos. Essa é a preocupação primordial de todo gestor consciente”.

Fonte: Itatiaia

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*