Goiás ultrapassa 56 mil casos confirmados de Covid-19 e tem 1.392 óbitos

Taxa de letalidade no estado é de 2,48%. Segundo a Secretaria de Saúde, outros 114.844 registros são considerados suspeitos.

Goiás tem 56.078 casos confirmados de coronavírus e 1.392 óbitos até este domingo (26), de acordo com o boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES). Outros 114.844 registros são considerados suspeitos. O total de pessoas recuperadas é de 49.905.

A taxa de letalidade do vírus em Goiás é de 2,48%. A secretaria ainda investiga outras 57 mortes que são suspeitas de terem acontecido por Covid-19.

Goiás demorou pouco mais de dois meses para registrar 1 mil casos de Covid-19. Depois, em 40 dias, atingiu o total de 10 mil registros. Um mês e uma semana depois, o estado ultrapassou 50 mil registros (veja evolução abaixo).

Ocupação dos leitos de UTI

A rede pública estadual de saúde tem 206 leitos de UTI exclusivos para Covid-19. A taxa de ocupação está em 80%. Na enfermaria, o índice é de 66%

Já na rede municipal, dos 169 leitos de UTI para Covid-19, 74,1% estão ocupados. Na enfermaria, o índice é de 48,7% de ocupação.

Evolução dos casos

  • No dia 12 de março, o governo registrou os três primeiros casos de Covid-19 em Goiás;
  • Em 6 de maio, Goiás ultrapassou 1 mil casos confirmados e atingiu 45 mortes;
  • Em 15 de junho, o estado contabilizou 10 mil casos de coronavírus e 226 mortes;
  • Entre 1º e 30 de junho,o estado registrou 84% dos casos de coronavírus desde o início da pandemia, em março;
  • Goiás registrou três vezes mais forte na primeira quinzena de julho em relação ao mesmo período de junho. Os números saltaram de 99, em junho, para 406, em julho.
  • A marca de 1 mil mortes foi registrada em 16 de julho.
  • Em 19 de julho, devido a uma instabilidade no sistema de notificação, houve redução de 17 casos nos números de infectados.
  • Um novo recorde nos números de casos confirmados foi registrado em 22 de julho, com 3.526 notificações em 24 horas.
  • Em 23 de julho, Goiás atingiu os 50 mil casos e registrou um recorde de mortes, com 102 registros em 24 horas.

Reabertura do comércio

Em meio à previsão do próprio governo para o pico da doença acontecer neste mês, o governador do estado, Ronaldo Caiado (DEM), liberou quase todas as atividades econômicas não essenciais no último dia 13, via decreto assinado na sede do governo. O prefeito da capital, Iris Rezende (MDB), também seguiu as normas do estado publicando decreto semelhante.

Assim, o reflexo desta liberação será percebida ao final do mês, e caso os dados sejam considerados críticos, o governo ponderou que as medidas podem “ser revistas a qualquer momento, conforme análise da evolução da situação epidemiológica”.

Fonte: G1 Goiás

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*