“Até agora vc só ganhou dinheiro comigo”, disse primo de Baldy a operador de empresário

Na denúncia apresentada hoje contra Alexandre Baldy, secretário licenciado de Transportes de São Paulo, o Ministério Público Federal narrou como ele e seu primo, Rodrigo Dias, atuavam em dupla para obter propina em contratos públicos.

Para ilustrar a maneira como agiam, o MPF anexou mensagens trocadas entre Rodrigo Dias e Edson Giorno, um ex-funcionário da Pró-Saúde, organização social que, segundo as investigações, pagou R$ 500 mil a Alexandre Baldy para receber pagamentos atrasados do governo de Goiás.

Uma das conversas aconteceu em novembro de 2014, na mesma época desses pagamentos:

Rodrigo: Algum dia eu não cumpri algo com vc?
Edson: Ainda nao/E espero que essa nao seja a primeira/Serio msmo!
Rodrigo: ok/Nunca haverá a primeira ok?/Até agora vc só ganhou dinheiro comigo
Edson: Conto com isso/E vc tb cmgo
Rodrigo: Eu tbm

Na época, Alexandre Baldy era secretário de Comércio de Goiás e, segundo as investigações, conseguiu liberar os pagamentos pela influência que tinha sobre Marconi Perillo, que era o governador.

Nos anos seguintes, Edson Giorno passou a trabalhar como operador do empresário Ricardo Brasil, que foi gestor na Pró-Saúde e abriu a Vertude, empresa que, segundo as investigações, pagou mais R$ 2,1 milhões a Baldy e Dias em troca de contratos públicos na Junta Comercial de Goiás e na Fiocruz.

Por Renan Ramalho – O Antagonista

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*