GO: entidade que coordena Santuário de Trindade é alvo do MP por desvios

O MP (Ministério Público) do Estado de Goiás deflagrou na manhã de hoje uma operação para apurar irregularidades que teriam sido cometidas pelos diretores da Afipe (Associação Filhos do Pai Eterno).

Estão sendo cumpridos 16 mandados de busca e apreensão na sede das associações, empresas e residências em Goiânia e em Trindade. Foram encontradas quantias em dinheiro nos locais das buscas e apreensões, cujo valor ainda está sendo contabilizado.

Um dos envolvidos nas irregularidades seria o padre Robson de Oliveira, que coordena a Afipe. A entidade administra o Santuário Basílica de Trindade, na região metropolitana de Goiânia, e o padre é reitor do Santuário Basílica do Divino Pai Eterno. A cidade é conhecida como a “capital da fé” em Goiás.

Segundo informações do MP-GO, a associação teria desviado verbas para outros fins que não o das obras e manutenção do santuário, entre outras atividades da entidade.

Os crimes apurados, até o momento, são os de organização criminosa, apropriação indébita, lavagem de dinheiro, falsificação de documentos e sonegação fiscal. O UOL tentou contato com a Afipe por telefone e também por email, mas ainda não teve retorno.

A operação, camada de Vendilhões, investiga também a Associação Filhos do Pai Eterno e Perpétuo Socorro e a Associação Pai Eterno e Perpétuo Socorro, ambas administradas pela Afipe. Os mandados foram expedidos pela juíza Placidina Pires, da Vara de Feitos Relativos a Organizações Criminosas e Lavagem de Capitais.

A investigação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) teve início em 2018 quando recebeu um inquérito do Poder Judiciário em que o presidente da Afipe, o padre Oliveira, após ser vítima de extorsão, teria utilizado indevidamente recursos provenientes de contas das associações que preside.

Fonte: Uol

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*