Mulher é demitida após denunciar racismo em mercado: “Só para branco usar”

Auxiliar de cozinha foi demitida por ter “se envolvido em situações de conflito com outros funcionários”

Negra, a auxiliar de cozinha Nataly Ventura da Silva, de 31 anos, foi demitida ao denunciar ter sido vítima de racismo e intolerância religiosa por um funcionário do hipermercado Atacadão, na zona oeste do Rio de Janeiro.

De acordo com o portal G1, o suspeito, Jeferson Emanuel Nascimento, teria ofendido a mulher, bem como a raça e a religião dela, o candomblé. Ele também escreveu a seguinte frase em um avental: “Só para branco usar”.

A mulher foi afastada, segundo a reportagem, por ter “se envolvido em situações de conflito com outros funcionários”. O Atacadão informou que Jeferson, que julgou o ato como uma “brincadeira”, também foi desligado.

“Eu me senti menor que uma formiguinha. Eu me senti tão mal que eu fui pra trás chorando, cheguei em casa chorando e fiquei com aquilo na cabeça perguntando o porquê, mas não sou eu que tenho que me perguntar o porquê”, disse Nataly.

“Isso tem que parar. Até quando a gente vai viver se escondendo? Até quando a gente vai viver acuado por conta do preconceito alheio? Eu não acho certo, não acho justo comigo. Cheguei a ficar envergonhada”, prosseguiu.

O Ministério Público do Trabalho (MPT), apontou que Jeferson foi demitido após o início das investigação por parte dos promotores. Segundo Nataly, os gestores não puniram o funcionário, só pediram para ele apagar a frase.

Outro lado

Em nota, o hipermercado Atacadão informou que “atua a partir de políticas sérias de diversidade e repudia veementemente qualquer tipo de discriminação”.

“Não toleramos nenhum tipo de preconceito e, imediatamente ao tomar conhecimento do caso, deligamos por justa causa o funcionário envolvido”, explicou a assessoria de imprensa do mercado.

A empresa disse também que que a denúncia só foi registrada quando o contrato de experiência da colaboradora, Nataly Ventura da Silva, já havia sido encerrado, e que está atuando junto ao MPT para esclarecer dos fatos.

“O Atacadão conta com um canal exclusivo para denúncias, que são tratadas com o máximo rigor como demandam questões de preconceito”, finalizou o hipermercado.

Fonte: Metrópoles

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*