Sem desfile devido à pandemia, Bolsonaro gera aglomeração em ato do 7 de Setembro no Alvorada

Com o cancelamento do desfile cívico-militar de 7 de Setembro em razão da pandemia do novo coronavírus, o presidente Jair Bolsonaro participou na manhã desta segunda-feira (7) de solenidade no gramado do Palácio da Alvorada para comemorar o 198º aniversário da independência do Brasil.

Ele e a primeira-dama Michelle Bolsonaro provocaram aglomeração ao cumprimentar e fazer fotos com apoiadores na grade do Alvorada. Até 800 pessoas tiveram autorização para assistir à cerimônia, informou a Secretaria de Comunicação.

O evento, com a presença dos presidentes do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP); do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli; e de ministros do governo, teve execução dos hinos Nacional e da Independência, hasteamento da bandeira e apresentação da Esquadrilha da Fumaça.

Antes do início da cerimônia, usando máscara, a primeira-dama Michelle Bolsonaro se aproximou da grade para fazer fotos e distribuir cumprimentos, o que gerou aglomeração, o que não é recomendado pelos especialistas em saúde em razão da pandemia do coronavírus. Ela deu as mãos e pegou celulares de participantes para fazer fotos.

Sem máscara, o presidente Jair Bolsonaro chegou ao evento no Rolls Royce presidencial, acompanhado de várias crianças, parte delas também sem máscaras.

Ele cumprimentou participantes antes de se juntar às autoridades que ouviram a execução dos hinos Nacional, da Independência e a exibição dos aviões da Esquadrilha da Fumaça. Depois do evento, voltou a se aproximar da grade e fez “selfies” com apoiadores, provocando ajuntamento de pessoas.

Há um mês, o Ministério da Defesa orientou as Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) a não participarem neste ano de eventos de 7 de setembro. Com isso, os tradicionais desfiles realizados na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, e em outras cidades não acontecerão neste ano.

Segundo o ministério, por causa da pandemia do coronavírus, “não é recomendável pelas autoridades sanitárias a promoção de eventos que possam gerar aglomerações de público, devido ao risco de contaminação”.

À noite, está programado um pronunciamento de aproximadamente quatro minutos de Bolsonaro em rede nacional de rádio e televisão.

Por Pedro Henrique Gomes, G1 — Brasília

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*