Incêndio no porto de Beirute, no Líbano, é extinto

Bombeiros usam escada em operação para extinguir incêndio no porto de Beirute, no Líbano, nesta sexta-feira (11) — Foto: Anwar Amro / AFP

Cruz Vermelha diz que chamas destruíram ajuda humanitária enviada ao país após megaexplosão que devastou a região portuária.

Os bombeiros extinguiram nesta sexta-feira (11) as últimas chamas de um incêndio de grandes proporções no porto de Beirute, no Líbano. A Defesa Civil libanesa afirmou que uma operação de resfriamento ainda estava em curso para evitar o retorno do fogo. Muita fumaça ainda podia ser vista no local.

O Comitê Internacional da Cruz Vermelha afirmou que o incêndio, que teria começado em um armazém de óleo e pneus, destruiu um estoque considerável de ajuda humanitária enviada ao país após a megaexplosão que devastou a zona portuária há pouco mais de um mês.

As chamas de quinta-feira (10) provocaram pânico na população, ainda traumatizada pela tragédia de 4 de agosto, que deixou 190 mortos e mais de 6 mil feridos. A megaexplosão foi provocada por incêndio em um depósito que armazenava 2.750 toneladas de nitrato de amônio sem medidas de segurança. A substância, que é matéria-prima para fertilizantes químicos, tem alto potencial explosivo.

Enquanto denunciam a incompetência e a corrupção dos políticos, grande parte da sociedade civil, ONGs e voluntários se mobilizaram para reconstruir a capital libanesa.

Bombeiros combatem incêndio no porto de Beirute, em 10 de setembro de 2020 — Foto: Hussein Malla/AP

Crise política

 

Desde a tragédia, o país, que já enfrentava uma grave crise econômica e política, viu crescer indignação da popular. Uma série de protestos ocorreram em várias regiões.

Em 10 de agosto, o primeiro-ministro Hassan Diab renunciou. O Líbano ficou sem um líder de governo até o dia 31 de agosto, quando assumiu Mustapha Adib,que foi embaixador do Líbano na Alemanha por sete anos.

Fonte: G1

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*