Lula pede que nova denúncia contra ele não seja julgada por Justiça de Curitiba

A defesa de Lula solicitou que a denúncia por lavagem de dinheiro apresentada nesta segunda-feira (14) pela força-tarefa da Lava-Jato paranaense contra o ex-presidente não seja julgada pela Justiça Federal de Curitiba. Em petição encaminhada ao juiz Luiz Antonio Bonat, da 13º Vara Federal do Paraná, os advogados alegam que Curitiba não tem competência para analisar o caso, já que não há vínculos com a Petrobras.

Os procuradores do Paraná apresentaram uma nova denuncia contra Lula, o ex-presidente do Instituto Lula, Paulo Okamotto, e o ex-ministro Antônio Palocci por lavagem de R$ 4 milhões. O dinheiro, repassado pela Odebrecht ao Instituto Lula entre 2013 e 2014, seria propina disfarçada de doação, segundo a força-tarefa.

Na peça, os advogados do petista defendem que a denúncia tem que ser julgada pela Justiça Federal de São Paulo, onde aconteceram as doações investigadas. Se essa competência não for reconhecida, a defesa de Lula solicita que o julgamento seja realizado pela Justiça Federal de Brasília, esfera competente para analisar assuntos ligados à “Planilha Italiano”, segundo o determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

Os advogados também contestam a veracidade da “Planilha Italiano”, documento com registros de supostos pagamentos ilícitos da Odebrecht ligados ao ex-ministro Palocci e prova apresentada nesta denúncia. A defesa de Lula alega que a planilha não integra o sistema da Odebrecht MyWebDay, onde, segundo os delatores, estariam registrados os repasses irregulares da empreiteira.

 

Por O Globo

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*