Estado de Goiás retoma captações e transplantes de córneas

Com a suspensão dos procedimentos desde o início da pandemia da Covid-19, Estado trabalha para a zerar a fila de pessoas que aguardam pelo tecido ocular

O Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO), publicou uma nota técnica autorizando a retomada das captações e transplantes de córneas no território goiano. Os procedimentos estavam suspensos desde o início da pandemia da Covid-19, com exceção dos casos de urgência. Com 758 pessoas na fila, o objetivo do retorno é zerar a lista de espera de maneira segura para todos os envolvidos. O transplante é essencial para melhorar a qualidade de vida dos receptores com a visão comprometida.

“Para que a doação de córneas seja efetivada, é imprescindível a autorização da família, assim como no processo dos demais órgãos e tecidos”, explica a gerente de Transplantes da SES-GO, Katiuscia Freitas. Diferentemente de outras doações, que são realizadas após a confirmação da morte encefálica, as córneas podem ser captadas até 12 horas após a parada cardiorrespiratória, com a devida constatação do óbito, fato que aumenta o número de potenciais doadores.

Em Goiás, o exame RT-PCR para detecção do coronavírus é obrigatório para todos os doadores de tecidos oculares. O teste é realizado pelo Laboratório Estadual de Saúde Pública Dr. Giovanni Cysneiros (Lacen). A captação do tecido e a coleta do swab nasal para o teste de Covid-19 podem ser realizadas no mesmo momento. “Os doadores positivos para coronavírus, por exemplo, não terão as córneas liberadas para o transplante”, pontua Katiuscia Freitas.
A córnea é um tecido transparente que fica na parte da frente do olho, funcionando como uma lente sobre a íris (parte colorida do olho). Além da função protetora, desempenha papel fundamental na formação da visão. O transplante de córnea consiste na substituição do tecido opaco ou doente por um sadio e pode ser realizado até 14 dias após a coleta do tecido. A fila pelo transplante obedece a um cadastro único, por ordem cronológica e sequencial de inscrição.

Quem pode doar

Todos os óbitos por parada cardiorrespiratória entre dois e 80 anos de idade podem ser candidatos à doação de córneas após avaliação dos critérios de doação de tecidos. “Pedimos empenho de todas as unidades de saúde de Goiânia, Aparecida de Goiânia e Anápolis para que façam a notificação das mortes para a Gerência de Transplantes de Goiás”, ressalta Katiuscia Freitas.

Ela destaca ainda que após notificar o caso, será possível que as equipes das Organizações de Procura de Órgãos (OPOs) estaduais realizem a avaliação e entrevista. “Assim, após o consentimento da família do doador, o transplante de córneas poderá ser viabilizado para atender centenas de receptores que aguardam na fila de espera”, finaliza a gerente da SES-GO.

Estrutura

Na estrutura organizacional de captação e distribuição de córneas, Goiás conta com um Banco de Tecidos Oculares, localizado na Fundação Banco de Olhos de Goiás, na capital. A unidade realiza as enucleações de córneas nas unidades hospitalares e nos Serviço de Verificação de Óbito (SVO) e Instituto Médico Legal (IML) de Goiânia e Aparecida de Goiânia.

Já em relação aos transplantes de córneas, o Estado conta com 25 equipes habilitadas para realizar o procedimento em instituições públicas e privadas. No ano passado, 56% dos transplantes de tecidos oculares em Goiás foram realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS). “Essa é a modalidade de transplante mais realizada no Estado de Goiás e todos que aguardam na fila podem realizá-lo gratuitamente pelo SUS”, finaliza a gerente da SES-GO.

 

Por Comunicação do Estado de Goiás.

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*