Caiado diz que volta às aulas ocorrerá somente após vacina

Escolas privadas podem voltar aulas presenciais com rodízio de alunos em agosto, desde que a Secretaria de Saúde autorize a retomada. (Foto: Reprodução/Folha Press)

Governador, que também é médico, lembrou que o retorno às aulas foi maior responsável por segunda onda de contaminações por Covid-19 na Europa

Um dia após o Centro de Operações em Emergências (COE) de enfrentamento à pandemia de Covid-19 decidir que já há condições para retorno de aulas de ensino infantil, fundamental, médio e superior, o governador Ronaldo Caiado afirmou, nesta quinta-feira, 29, que as aulas presenciais serão retomadas integralmente assim que forem disponibilizadas vacinas contra o vírus.

“Qualquer retorno às aulas presenciais vai atender esse lado da imunização, que é fundamental para nós não termos a segunda onda da doença”, disse em live em suas redes sociais. Para Caiado, a volta antecipada do ensino foi o principal motivo da segunda onda de contaminações pelo novo coronavírus em países da Europa.

“Diagnosticaram que a causa determinante foi muito mais o retorno antecipado, que aconteceu na França, Espanha, e hoje os países estão já sentindo o resultado com toque de recolher e recessões maiores”, afirmou.
O governador, que também é médico, ponderou que crianças podem se tornar transmissoras com capacidade de contaminar um grupo grande dentro da própria família e proliferar o vírus.

“Tenho mantido essa tese [do retorno somente com a vacina], tenho discutido isso. E já teve a aquisição de 6 milhões de doses pelo Ministério da Saúde. Então, não terá nenhum estado que estará à frente do outro, isso é uma política nacional”, declarou.

Assistência Pré-Escolar

Caiado, ainda, comentou sobre a regulamentação da assistência pré-escolar para funcionários da administração estadual goiana. O governo irá conceder ao servidor ativo benefício mensal de R$200 por dependente matriculado em instituição regular ou dedicada à pessoa com deficiência.

Serão beneficiados servidores com remuneração ou subsídio no valor de até R$5,5 mmil, com dependentes entre seis meses a cinco anos. “Este repasse passa a ter influência enorme na melhoria da qualidade de vida dessas famílias, dessas crianças que são beneficiadas com esse trabalho feito pelo governo”, disse.

Por Jornal Opção

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*