Gestão Iris investiu mais de R$ 1 bilhão em infraestrutura nos dois últimos anos

Obras da prefeitura até o fim da atual gestão já tem os recursos disponíveis, garante secretária de Finanças do município

O prefeito Iris Rezende (MDB) vai encerrar sua carreira política com grandes resultados à frente da Prefeitura de Goiânia. O gestor fecha o ano de 2020 com recorde histórico no volume de recursos investidos em infraestrutura na cidade. A gestão destinou mais de R$ 756 milhões neste ano para obras e reformas estruturais na capital.

Em 2019, R$ 311 milhões já haviam sido empenhados para investimentos em infraestrutura, totalizando mais de R$ 1 bilhão aplicados na área apenas nos dois últimos anos. “Tudo isso é fruto de um trabalho árduo para alcançar equilíbrio nas contas e poder investir com segurança”, destaca o gestor.

“Temos um conjunto de obras que mudam a paisagem da cidade, com 19 grandes obras de infraestrutura, mais de 1.200 reformas e ampliações, 198 mil metros de pavimentação asfáltica e 630 quilômetros de vias recapeadas”, afirmou o prefeito Iris Rezende, ao frisar trabalho de saneamento das contas públicas com responsabilidade fiscal.

De acordo com a secretária de Finanças do município, Zilma Peixoto, a Prefeitura de Goiânia conseguiu reverter as perdas de arrecadação provocadas pela pandemia e todas as obras já têm garantidos os recursos para sua conclusão. “Hoje nós temos muita tranquilidade em dizer que todas as obras da prefeitura até o fim da atual gestão já tem os recursos disponíveis”, contou.

Endividamento

Apesar do volume de recursos aplicados, a Prefeitura de Goiânia esclarece que segue sendo uma das capitais menos endividadas do país. No segundo quadrimestre deste ano, a dívida consolidada do município foi calculada em 28,15% da Receita Corrente Líquida (RCL). O valor está bem abaixo do limite máximo estipulado para o endividamento de entes municipais, que é de 120% da RCL.

Durante a atual gestão a nota da cidade na Capacidade de Pagamento (Capag) do Tesouro Nacional também apresentou melhora. A capital passou da nota C para B na avaliação, o que representa alto nível de equilíbrio nas contas públicas e permite a contratação de empréstimos com o aval da União.

“A Capag é determinante para a captação de recursos porque ela influencia diretamente no nosso risco de crédito. Com a manutenção de uma boa nota, nós podemos garantir os investimentos necessários para atender as demandas da sociedade”, destacou Zilma Peixoto.

O pagamento em dia dos servidores públicos, dentro do mês trabalhado, também tem sido prioridade na gestão, que reduziu o percentual gasto com despesas de pessoal para 42,75% do total da receita da Prefeitura. O número é bastante inferior aos limites fixados pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), de 51,30% e 54%.

 

Por Jornal Opção

print