Isolado no Brasil e no mundo, Bolsonaro mantém silêncio sobre EUA

Isolado no Brasil e no mundo, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) mantém silêncio sobre a vitória do democrata Joe Biden sobre o aliado do brasileiro, o republicano Donald Trump, nas eleições americanas. Neste domingo (8), ele deixou o Palácio da Alvorada apenas no horário do almoço. Foi à Granja do Torto.

 

Nas redes sociais, Bolsonaro se limitou hoje a publicar sinais de aprovação a comunicados de obras realizadas ou divulgadas nos últimos. O silêncio do presidente dura cerca de 24 horas.

O UOL solicitou comentários ao Palácio do Planalto e ao Itamaraty no sábado e neste domingo. O vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB), também preserva o silêncio.

Outros líderes mundiais e no próprio Brasil já reconheceram o resultado das urnas nos EUA. Internamente, os ex-presidentes Michel Temer (MDB), Dilma Rousseff (PT), Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Fernando Collor (PTB) e José Sarney (MDB) parabenizaram os norte-americanos pelas eleições.

 

O presidente da Câmara e terceiro na linha sucessória, Rodrigo Maia (DEM-RN), fez o mesmo, assim como o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso.

No exterior, um aliado de Trump, o premiê do Reino Unido, Boris Johnson, não hesitou em louvar o fato de a vice de Biden, Kamala Harris, ser a primeira mulher que vai ocupar o cargo. E ainda mencionou os interesses comuns dos dois países.

“Os Estados Unidos são nosso aliado mais importante”, destacou Johnson. “Eu espero trabalhar cada vez mais perto em nossas prioridades compartilhadas, das mudanças climáticas ao comércio e à segurança.”

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, outro líder de direita, disse que Biden é “um grande amigo” de Israel.

No Brasil, Temer chamou Biden de “prezado amigo” e desejou êxito ao norte-americano.

A reportagem pediu comentário do ex-presidente José Sarney sobre o tema. Por meio de um amigo, ele recomendou a leitura de um artigo que publicou ontem à noite. “Trump tem a cara de pau de dizer que ganhou e foi roubado”, escreveu Sarney no site “Diário do Poder”.

Trump já é o passado, e Biden nos traz a esperança da retomada gloriosa do ‘sonho americano’. É um homem equilibrado, respeitado, bem composto. Esperamos que ele encerre a série de conflitos mundiais que o topete de seu antecessor espalhou pela comunidade internacional” José Sarney, ex-presidente do Brasil

A assessoria do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) não prestou esclarecimentos ao UOL. Nas redes sociais, o tucano não comentou a vitória de Biden.

 

Por UOL

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*