Embaixador dos EUA exalta militares após Bolsonaro falar em “pólvora”

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Todd Chapman, compartilhou vídeo em que parabeniza o Corpo de Fuzileiros Navais norte-americano pelo aniversário de 245 anos de existência: “Sempre de prontidão para responder de forma rápida, seja por terra, ar ou mar”.

A mensagem foi publicada na noite dessa terça-feira (10/11), em uma rede social, horas depois de o presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (sem partido), insinuar briga – “Depois que acabar a saliva tem que ter pólvora” – com os Estados Unidos por causa da Amazônia.

“Compartilham uma longa história e um relacionamento importante e duradouro, que nos permite exercer com segurança os interesses dos Estados Unidos e um forte relacionamento bilateral com o Brasil” diz Chapman, ao ressaltar que o destacamento é o maior do mundo.

 

Pólvora

Bolsonaro ventilou, nessa terça (10/11), a possibilidade de uma disputa militar com os EUA. O comentário foi feito durante crítica à intenção do presidente eleito dos EUA, Joe Biden, de criar um fundo para investir U$ 20 bilhões no combate à destruição da Amazônia.

“Assistimos há pouco a um grande candidato à chefia de um Estado dizendo que se eu não apagar o fogo da Amazônia, ele vai levantar barreiras comerciais contra o Brasil. Como é que nós vamos fazer frente a tudo isso? Apenas pela democracia não dá. Depois que acabar a saliva tem que ter pólvora”, disse.

“Não precisa nem usar a pólvora, tem que saber que tem. Esse é o mundo, ninguém tem o que nós temos. Nós temos que nos fortalecer. E como nos fortalecer? Liberando a economia, livre mercado. Dando liberdade para quem quer trabalhar, e não enchendo o saco de quem quer produzir”, prosseguiu.

Fonte: Metrópoles

print