“Bebemos água do poço com barro”, diz amapaense que teve casa alagada

print