Irmão diz que prefeito eleito de Itaguaru vítima de complicações da Covid-19 morreu sem saber da vitória nas urnas: ‘Choque’

A morte do prefeito eleito de Itaguaru, Didi Filgueira (PTB), 61 anos, na segunda-feira (16), um dia após as eleições, por complicações da Covid-19, chocou a família e os moradores da cidade. Irmão do político, o professor Eduardo Filgueira disse que Didi não chegou nem a receber a notícia da vitória no pleito, pois estava entubado em um hospital de Goiânia e teve uma piora em seu quadro clínico.

“Foi um choque total. A família está totalmente chocada. Sabíamos que era grave [o quadro clínico dele], mas esperávamos o retorno dele em 10 ou 15 dias. Só que a gente não sabe os projetos de Deus. Ele morreu sem saber que estava eleito”, disse ao G1.

 

Didi foi internado no dia 1º de outubro, após começar a apresentar os primeiros sintomas da Covid-19. Dias depois ele foi entubado e transferido para o UTI. No dia 30 de outubro, foi retirada a ventilação mecânica e ele apareceu em um vídeo com uma máquina de oxigênio fazendo sinal de positivo. Porém, o estado de saúde dele acabou se agravando novamente.

“Viemos fazer uma visita para informar sobre a vitória e os médicos nos informaram que de sábado para domingo ele teve uma pequena piora, mas que a piora persistiu”, disse a esposa dele, Darcimeire Fernandes, em um vídeo postado nas redes sociais.

Conforme jurisprudência de casos semelhantes julgados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o vice assume o posto. No caso de Didi, seu vice, que assumirá o cargo, é Fernando Araújo (PDT).

Didi Filgueira (PTB), morreu um dia após ser eleito prefeito de Itaguaru — Foto: Reprodução/TSE

Didi Filgueira (PTB), morreu um dia após ser eleito prefeito de Itaguaru — Foto: Reprodução/TSE

Comoção na cidade

 

Eduardo disse que a morte comoveu a cidade de Itaguaru, que tem pouco mais de 5 mil habitantes e está situada a 122 km de Goiânia. Ele afirma que em sua primeira eleição, Didi participou apenas da convenção de que escolheu seu nome para a disputa.

“A cidade está totalmente triste. Uma eleição sem o candidato estar presente e ele foi levado pelo povo. Isso é loucura. Havia um clamor popular”, desabafa.

Segundo Eduardo, pelo fato da morte de ocorrido em virtude em virtude de complicações da Covid-19, não haverá velório. Está previsto, porém, um pequeno cortejo até o cemitério. O enterro, sem horário definido, deve ser realizado ainda nesta manhã.

Didi teve 53,90% dos votos. Foram 2.368 votos no total. O candidato derrotou Chitão (PP), que ficou em segundo lugar com 44,07% (1.936 votos).

Fonte: G1 Goiás

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*