Mulher que está debilitada após ter Covid-19 e sofrer um AVC espera há quase três meses por auxílio do INSS

Marciene Pires Ribeiro, de 35 anos, trabalhava como secretária em uma gráfica, mas ficou debilitada após ter Covid-19 e sofrer um acidente vascular cerebral (AVC), em Rio Verde, no sudoeste goiano. Sem conseguir se movimentar nem falar, ela espera há quase três meses para receber um auxílio do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS).

“Estamos com dificuldade para comprar a alimentação dela e remédios. Não tenho condição”, disse a mãe dela, Izaura Pires Ribeiro

 

(CORREÇÃO: O G1 errou ao informar que a paciente aguarda pelo benefício há quase quatro meses. Na verdade, a espera é de quase três meses. A informação foi corrigida às 11h).

No início de julho, Marcilene foi internada com covid-19 e, em seguida, teve um AVC que a deixou com sequelas. A mãe dela disse que família entrou com um pedido no INSS no dia 19 de agosto.

Um documento do INSS mostra que benefício foi aprovado, no valor de um pouco mais de R$ 1 mil por mês e com início de vigência ainda no mês de agosto. Dias depois, a situação do pedido passou para “cessado”. No sistema constava que a família precisava fazer um novo pedido do benefício. A família solicitou, mas a situação segue em análise.

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*