Mulher denuncia que filho autista de 4 anos e babá foram expulsos de carro por motorista de app após menino ter crise nervosa

Uma mulher de 42 anos denunciou à Polícia Civil que o filho, de 4 anos, que tem autismo, e a babá, de 57, foram expulsos do carro de um motorista de aplicativo durante uma corrida, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. Segundo o relato dela, o condutor se irritou porque a criança teve uma crise nervosa e começou a chorar e espernear dentro do veículo.

Em nota, a Uber informou que possui uma política de “tolerância zero” em relação a atos discriminatórios de qualquer natureza e que baniu o motorista da plataforma (leia a íntegra ao final do texto).

O caso aconteceu na última segunda-feira (16). A mulher relatou que o filho havia terminado uma sessão de terapia na Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) e a babá, que o acompanhava, pediu que ela solicitasse um carro para levá-los embora.

Durante o percurso, o garoto acabou ficando nervoso. A babá estava com dificuldades para acalmá-lo. Mesmo assim, segundo a ocorrência, o motorista parou o veículo em uma via movimentada e “mandou que os dois descessem”.

A mãe da criança relatou que a babá lhe telefonou chorando e pediu ajuda. Em seguida, ela foi até o local e os buscou. Logo depois, foi até a delegacia registrar queixa.

Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente investiga a denúncia — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente investiga a denúncia — Foto: Reprodução/TV Anhanguera

Segundo a polícia, o motorista, que não teve o nome divulgado, se apresentou espontaneamente à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, colocando-se à disposição das autoridades. O depoimento dele ainda será agendado.

O caso foi registrado no âmbito do artigo 88 da Lei 13.146, da Inclusão da Pessoas com Deficiência, que versa sobre discriminação em razão da deficiência. A pena, em caso de condenação, pode chegar a três anos de prisão.

Nota da Uber:

 

A Uber possui uma política de tolerância zero a qualquer forma de discriminação em viagens pelo aplicativo. A conta do motorista em questão foi desativada da plataforma e a empresa permanece à disposição dos órgãos de segurança para colaborar com as investigações, na forma da lei.

A Uber defende o respeito à diversidade e reafirma o seu compromisso de promover o respeito, igualdade e inclusão para todas as pessoas que utilizam o nosso app. Todas as viagens são registradas por GPS. Isso permite que, em caso de necessidade, nossa equipe especializada possa dar suporte às autoridades, sabendo quem foi o motorista parceiro e o usuário, seus históricos e qual o trajeto realizado, além de acionar seguro que cobre despesas médicas em caso de incidentes.

Fonte: G1 Goiás

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*