Governo prevê injeção de R$ 3,4 bilhões com vinda e ampliação de empresas

Caiado assinou 49 protocolos de intenção

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, assinou nesta sexta-feira (20/11) protocolos de intenção com representantes de 49 empresas, que devem se instalar ou ampliar atividades em 23 municípios goianos. Os investimentos totalizam R$ 3,4 bilhões, com a geração de 22.168 empregos, entre diretos e indiretos.
Em outras três oportunidades semelhantes, também em 2020 e, mesmo no período da pandemia, o Governo de Goiás já havia formalizado a atração de outros 91 empreendimentos, que destinarão mais R$ 3,9 bilhões em recursos, e serão responsáveis por 40 mil postos de trabalho.
Durante o discurso do governador, três tópicos foram fundamentais para comprovar como o Estado tem conseguido alavancar a economia e ser referência nacional em educação, saúde, segurança pública e ação social. Descentralizar, desburocratizar e combater a corrupção têm sido o norte que chama a atenção de empreendedores de diversos estados do país para Goiás. Mas, segundo o próprio governador, o trabalho não é fácil.
“Para se quebrar uma máquina que visava o interesse de um pequeno grupo e transferir isso para 7,2 milhões de goianos, é preciso independência intelectual e moral. E, isso, graças a Deus, eu tenho”, afirmou Caiado durante a solenidade realizada no Centro Cultural Oscar Niemeyer, em Goiânia.
“Temos a obrigação de ser o governo que gostaríamos de ter. Tenho certeza de que, ao final desse mandato, vamos apresentar um Estado que gera emprego cada vez mais”, assinalou o vice-governador Lincoln Tejota. “Alcançamos os resultados porque contamos com o apoio irrestrito dos nossos secretários, que trabalham o governo como um corpo só.”
Para a gestão estadual, as razões para Goiás conseguir atrair investimentos de 49 empresas, que se instalam em 23 municípios do Estado, de uma vez só, estão diretamente ligadas à política de descentralizar para garantir o desenvolvimento igualitário em todas as regiões do Estado. Quando se computa o período total da gestão administrativa, de quase dois anos, os resultados dessa pulverização econômica são ainda mais expressivos; alcançam 87 prefeituras.
“Com certeza, isso levou Goiás ao primeiro lugar no crescimento industrial do país em 2020. Um aumento de 2,5% no acumulado do ano comparado com 2019 e, de 5,3%, na comparação de setembro de 2020 com o mesmo mês de 2019, em plena pandemia”, ressaltou o secretário de Indústria, Comércio e Serviços (SIC), Adonídio Neto. Ainda de acordo com ele, o Estado é a terceira unidade da Federação em crescimento absoluto de empregos, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). O número de cadastramento de empresas, continuou, também é recorde, com 21.602, índice superior ao do ano passado.

Por A Redação

print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*