Jovem é indiciada por matar namorado com agulha de narguilé, diz delegado

A jovem acusada de matar o namorado com uma agulha de narguilé durante uma briga foi indiciada por homicídio doloso privilegiado, na manhã desta terça-feira (24), em Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital. Segundo o delegado Eduardo Rodovalho, ao final das investigações, não foi pedida a prisão da por entender que não haviam os requisitos determinados pela lei. Nicole Maria, de 19 anos, confessou o crime e já respondia em liberdade.

“Não foi pedida a prisão porque, ao meu entender, não se encontram presentes os requisitos, como a não garantia da ordem pública, ou seja, não há indícios de que ela volte a fazer isso e também o não risco de instrução criminal, ou seja, que ela possa ser uma ameaça aos familiares e testemunhas”, disse o delegado.

 

O G1 tentou contato, por telefone, com a jovem para que ela se posicionasse sobre o indiciamento, às 11h, mas a ligação não foi atendida.

O delegado complementou ainda que acusada é réu primária. O inquérito deve ser remetido à justiça nesta quarta-feira (25). Conforme a polícia, o casal tinha um histórico de relacionamento conturbado.

Adailton Gomes Abreu, de 24 anos, morreu na casa da namorada, no Residencial Village Garavelo, após uma discussão do casal por um pastel de feira. Ele foi atingido no coração pela agulha em setembro deste ano, durante uma discussão por pastel de feira.

Durante as investigações, a jovem disse à polícia que o namorado havia ido para cima dela com um narguilé quebrado e, para se defender, acabou o atingindo com a agulha. Nicole também relatou aos policiais que ficou desesperada na hora, pois não “esperava isso”.

“As investigações já foram concluídas e o processo deve ser enviado à Justiça na próxima semana. Eles já tinham se agredido mutuamente, por imaturidade no namoro. E com o desgaste extremo, no momento da briga, ela acabou o matando, mas não identificamos lesões nela no dia do crime que justificassem a legítima defesa”, disse o delegado.

A jovem já estava respondendo em liberdade, pois se apresentou após o crime e estava colaborando com as investigações. A polícia descartou a presença de outra pessoa dentro da casa e a participação mais alguém no crime.

Relação ‘tumultuada’

 

O delegado afirmou ainda que o casal tinha uma relação “tumultuada”, permeada por brigas e discussões e que tal fato se comprova pelo motivo da discussão que acabou ocasionando a morte.

“O casal vivia uma relação tumultuada. Eram muito impetuosos. Tinha histórico de briga constante. Essa situação começou por um motivo banal, uma questão de divergência de alimentação em um passeio que eles fizeram na feira e resultou nesse trágico final”, pondera.

 

Causa da morte

 

De acordo com a polícia, inicialmente, havia uma suspeita de que Adailton teria passado mal e sofrido um infarto. Porém, depois, a equipe notou a perfuração com a agulha, a qual é usada para furar o papel alumínio que encobre o carvão e, assim, ocorrer a liberação de calor para aquecer a essência do narguilé.

Segundo o delegado, o jovem foi atingido por uma única perfuração no mamilo esquerdo, na base do coração.

“A lesão foi única, certeira e fatal. Ele agonizou por pouco tempo e depois já veio a óbito”, disse o investigador.

Fonte: G1 Goiás
print

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*